CVR aposta na promoção da certificação de vinhos regionais

Na 10ª edição do Wine in Azores, a decorrer até este domingo, no pavilhão de exposições da Associação Agrícola de São Miguel, na Ribeira Grande, marca presença a Comissão Vitivinícola Regional dos Açores (CVR).

Segundo o presidente da CVR Açores, esta presença é importante, até porque, a comissão assenta em dois pilares fundamentais, a promoção e divulgação dos vinhos, mas, a mais importante, a certificação dos vinhos açorianos.

Em declarações ao Jornal Diário da Lagoa, Vasco Paulos considerou esta presença no Wine in Açores como sendo mais uma ação de sensibilização, não só para os produtores, a incentivar a quem ainda não tem a certificação, que o façam, por forma a ser uma mais valia, algo que valoriza o próprio vinho, mas também esclarecer, junto dos consumidores, a importância de um vinho certificado. O presidente da CVR Açores considera ser importante um vinho ter um selo de certificação, como sendo um garanto de qualidade, de um produto genuíno.

Vasco Paulos recordou o incremento, quase exponencial, de área plantada no Pico, nos últimos anos, onde se passou de 230 hectares de castas aptas a produzir vinhos DOIG, em 2004, para cerca de mil hectares em produção em 2018.

Segundo disse, será um desafio acrescido para a própria CVR Açores, porque se num ano normal certificavam cerca de 250 mil litros, estimam agora certificar acima de 750 mil ao ano.

Trata-se de uma situação que o responsável considera que é muito importante para a região, até porque a qualidade existe, mas a falta de quantidade de certos vinhos não permitia singrar em determinados mercados, o que, com este incremento, em termos de quantidade, será possível afirmar e singrar nesses mercados.

2018 foi igualmente um ano muito importante, com um aumento da produção, não só na quantidade, mas também na qualidade.

Vasco Paulos recorda que o verão foi muito seco, o que acabou por penalizar o rendimento de prensa, ou seja, as uvas tiveram menos sumo, mas a qualidade foi acima da média.

“Para além de termos quase quadruplicado a produção, em certas zonas, houve também um incremento da qualidade muito acentuado e o que se se estima é que os vinhos de 2019, e que brevemente serão certificados pela própria CVR Açores, sejam acima da média, em termos qualitativos”, recordou.

DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*