O Secretário Regional da Saúde quer reunir pelo menos uma vez por ano com o Conselho Regional de Saúde. Rui Luis, que reuniu pela primeira vez com este órgão consultivo, entende que ele é fundamental “na definição e reflexão das políticas de saúde”.

Entre os 23 conselheiros, estão representantes das ordens profissionais, sindicatos, associações de utentes e de consumidores, comunicação social e representantes das Misericórdias e da Universidade dos Açores.

A humanização em saúde, a apresentação da metodologia que vai estar inerente à avaliação do Plano Regional de Saúde e a reflexão sobre a problemática dos comportamentos aditivos e dependências foram os temas considerados para análise do Conselho.

Das conclusões relativas à humanização em saúde, Rui Luís adiantou que “há necessidade de apostar na formação e, por exemplo, elaborar um manual de boas práticas em humanização, conforme proposta do próprio Conselho”.

Já em relação ao Plano Regional de Saúde, que sofreu uma extensão até a 2020, o governante referiu que a avaliação, através de um relatório de primavera, passará a ser realizada anualmente.

Os conselheiros tiveram ainda ocasião de pronunciar-se sobre a problemática das dependências, já que na ordem de trabalhos constava a apresentação do estudo do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências.

O Conselho Regional de Saúde tem como competências fazer propostas e recomendações, e ainda emitir pareceres sobre questões relacionadas com a saúde e o combate às dependências.

DL/Gacs

Share