O Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas convidou cada Açoriano da diáspora a ser “embaixador dos Açores”, onde quer que esteja, tornando-se, desta forma, um promotor do projeto açoriano.

Rui Bettencourt, que falava quarta-feira, dia 17 de maio, em Ponta Delgada, no lançamento do livro ‘Açores no Mundo’ de José Andrade, sublinhou que, além de se sentirem açorianos de pleno direito e cidadãos exemplares do mundo, devem também sentir-se “construtores do futuro dos Açores e, de facto, promotores do projeto açoriano”.

Segundo o executivo regional, na sua intervenção, o titular da pasta das Relações Externas incitou também as Casas dos Açores a sentirem-se “detentoras de uma missão fundamental para a Região”, desempenhando um verdadeiro papel na projeção dos Açores no mundo.

Esta missão, frisou Rui Bettencourt, será “mais forte, legítima e segura” se a sua consciência do papel que as Casas dos Açores devem ter nesta promoção da Região for “mais profunda”.

Para Rui Bettencourt, as Casas dos Açores devem desempenhar atualmente “um papel cada vez mais intenso de promoção dos Açores no exterior” e serem “agentes efetivos e permanentes do nosso futuro coletivo”, mantendo contudo a sua função inicial, de “matar saudades dos Açores, transmitir os nossos valores, dar a conhecer a nossa história, a nossa alma, quem somos”.

“Os Açores estão em todo o sítio, desde que haja Açorianos lá”, frisou o Secretário Regional, considerando, por isso, que o título do livro agora lançado é “marcante”, já que as comunidades açorianas dão “uma dimensão mundial aos Açores”.

DL/Gacs

Share