O deputado do PSD/Açores António Almeida desafiou o Governo regional a explicar como é que entre 2007 e 2014 os indicadores do risco de marginalização na agricultura (baixos rendimentos e idades próximas da reforma) inscritos no Prorural se mantém superiores a 40%, quando os executivos do PS anunciaram milhões para o setor.

Para António Almeida, que falava durante a interpelação agendada pelo PSD/Açores ao secretário regional da Agricultura e Florestas, João Ponte, sobre a situação do setor agrícola na Região, “o Prorural+ tem significado mais dificuldades e piores resultados”.

O social-democrata açoriano deu exemplos de produtores que leite e de bovinos de carne que perdem dinheiro diariamente com a atividade, bem como com o rateio das ajudas do POSEI, demonstrando que “há explorações que, neste momento, nem com os apoios públicos se safam dos maus resultados”.

Por isso, defendeu o deputado do PSD/Açores, é “obrigatório que o Governo estude a situação das explorações leiteiras e de carne e as apoie através do aconselhamento agrícola e que veja como criar condições para a redução de custos, designadamente dos fatores de produção”.

No âmbito do debate que decorreu na Assembleia Legislativa dos Açores, o deputado José San-Bento, do Grupo Parlamentar do Partido Socialista, afirmou que existem situações complicadas em explorações ligadas à fileira do leite, mas também há muitos dados objetivos que permitem ter confiança no futuro da nossa agricultura.

O parlamentar afirmou que “o setor leiteiro nos Açores tem desafios pela frente, mas essa realidade não nos deve levar a desvalorizar o impressionante trabalho que os nossos produtores realizaram. Crescemos simultaneamente em quantidade e em qualidade das nossas produções”.

DL/PS/PSD

Share