MauTempo_Chuva_dez13@RA

O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) alertou para o agravamento do estado do tempo nos Açores.

Um sistema frontal, associado a uma depressão muito cavada, deverá provocar um agravamento do estado o tempo em todas as ilhas.

Assim sendo, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) emitiu aviso, para o Grupo Oriental, aviso LARANJA referente a VENTO relativo a Rajada Máxima, entre as 12h00 de amanhã (dia 5) e as 06h00 de quinta-feira (dia 06).

O vento soprará de sudoeste com rajadas até 100 km/h, temporariamente com rajadas da ordem dos 110 km/h.

Foi ainda emitido aviso AMARELO referente a VENTO relativo a Velocidade Média no mesmo período, de direção de sudoeste, rodando para noroeste.

AGITAÇÃO MARÍTIMA relativo a Altura Significativa das Ondas de oeste.

Para o Grupo Ocidental, aviso LARANJA referente a VENTO relativo a Rajada Máxima, igualmente entre as 15h00 de amanhã (dia 5) e as 06 de quinta-feira (dia 06).

Vento sudoeste com rajadas até 100 km/h, temporariamente com rajadas até 130 km/h.

Aviso AMARELO referente a VENTO relativo a Velocidade Média de direção de sudoeste, rodando para noroeste.

AGITAÇÃO MARÍTIMA relativo a Altura Significativa das Ondas de oeste, passando a noroeste.

Há ainda o aviso de PRECIPITAÇÃO entre as 21h00 de hoje (dia 04) e as 09h0 de amanhã (dia 5). Precipitação que pontualmente poderá ser forte.

Para o Grupo Central, aviso LARANJA referente a VENTO relativo a Rajada Máxima entre as 09h00 de amanhã (dia 5) e as  03h00 de quinta-.feira (dia 6).

O vento soprará de sudoeste com rajadas até 100 km/h, temporariamente com rajadas da ordem dos 120 km/h.

Aviso AMARELO referente a VENTO relativo a Velocidade Média, no mesmo período, de direção de sudoeste, rodando para noroeste.

AGITAÇÃO MARÍTIMA relativo a Altura Significativa das Ondas entre as 12h00 de amanhã (dia 5) e as 06h0 de quinta-feira (dia 6).

Ondas de oeste, passando a noroeste.

Há ainda alerta de PRECIPITAÇÃO entre as 00h00 e as 09h00 de amanh~ºa (dia 5), que poderá ser pontualmente forte.

O SRPCBA recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, em particular nas zonas mais vulneráveis, recomenda-se a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações.

Nomeadamente manter limpos os sistemas de drenagem e consolidar telhados, portas e janelas; adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo cuidado com a possível formação de lençóis de água nas vias;  ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas.

DL/Gacs

Share