A população da Lagoa, em São Miguel, cresceu, entre 2009 e 2015, contrariando a tendência regional. No espaço de seis anos, o concelho ganhou 253 novos habitantes.

Os números integram uma recolha da Pordata, que apresenta vários indicadores referentes a 2009 e 2013 (anos das últimas eleições autárquicas) e a 2015 (últimos números conhecidos), e foram divulgados esta quinta-feira pelo jornal Correio dos Açores.

Em 2009, a Lagoa tinha 14.421 habitantes, passando par 14.674, há dois anos. Ainda assim, o fenómeno não se deve a um crescimento da natalidade, já que no período analisado se contaram menos 44 nascimentos.

Em 2009, nasceram 180 crianças na Lagoa e, em 2015, apenas 136, dos quais 39,7% se registaram fora do casamento, uma característica que se repete cada vez mais em todo o arquipélago.

Por outro lado, a população estrangeira a residir na Lagoa não registou qualquer diferença no espaço de seis anos, continuando a representar 0,8% da população total, abaixo da média regional, que se situava, em 2015, nos 1,3%.

Ainda segundo o mesmo jornal, apesar de ter aumentado a população, o concelho perdeu jovens, à semelhança do que se tem registado noutros concelhos dos Açores.

Enquanto há oito anos, 21,7% dos habitantes da Lagoa tinham menos de 15 anos, em 2015, contabilizavam-se apenas 18,9% de jovens. Em contrapartida, o peso da população com mais de 65 anos aumentou, passando de 9,9% para 11,1%. Há seis anos, por cada 100 jovens existiam 46 idosos na Lagoa e os números mais recentes apontam para 59 idosos por cada 100 jovens. O número continua, ainda assim, muito abaixo da média regional, que atingia, em 2015, os 80 idosos por cada 100 jovens.

A Lagoa tem também mais pessoas em idade activa por cada idoso, em comparação com o resto do arquipélago. Enquanto no concelho existiam 6,3 pessoas em idade activa por cada pessoa com mais de 65 anos, em 2015, a média regional apontava para 5,2.

Por outro lado, segundo a noticia do matutino micaelense, e no que aos cadernos eleitorais diz respeito, ao contrário do que se verifica noutros concelhos, na Lagoa não existe uma grande disparidade entre o número de habitantes e o número de eleitores, ainda que os segundos tenham registado um crescimento superior aos primeiros.

No período em que o concelho ganhou 253 residentes, os cadernos eleitorais contabilizaram mais 616 eleitores. Feitas as contas, 16,57% da população da Lagoa não está inscrita nos cadernos eleitorais, quando os jovens com menos de 15 anos representam 18,9% da população. Nas últimas eleições autárquicas, a abstenção na Lagoa foi superior à média regional e nacional. Em 2009, foi de 50,2%, quando nos Açores se ficou pelos 43,2%, mantendo-se igual, em 2013, quando a nível regional aumentou para os 46,3%, lê-se.

DL/CA

Share