Alexey Lukyanuk é o líder do Azores Airlines Rallye, sem grandes contestações, no final do segundo dia de provas.

O piloto russo foi o mais rápido nas primeiras passagens pelas três classificativas deste segundo dia do rali.

Lukyanuk terminou sexta-feira na frente, com um total de 01:14:04,5.

Mesmo assim não ganhou para o susto.

A surpresa do dia é a subida de Bruno Magalhães que foi ganhando tempo ao longo do dia, terminado mesmo esta sexta feira a vencer as duas últimas especiais do dia, as segundas passagens por Feteiras Meo e Sete Cidades.

Magalhães está a 27,8 do líder da Prova.

Já nas Portas do mar, no final do dia, o piloto português, disse estar a fazer o melhor dos ralis de sempre, dadas as circunstâncias.

Ricardo Moura, o vencedor da edição de 2016 é o segundo melhor português.

O piloto açoriano está a 33,8 do primeiro da tabela.

Moura considera que o segundo dia foi difícil, com dificuldades em manter a tração no carro. No Pico da Pedra um problema no pneu fez perder tempo.

A grande baixa do dia é a desistência do piloto polaco, Kajetan Kajetanowicz , que bateu num muro no início do Pico da Pedra Golfe 1, primeira classificativa do segundo dia do Azores Airlines Rallye, deixando a carro bastante danificado e acabando por abandonar.

Kajetan Kajetanowicz deverá voltar este sábado, para o último dia do rali”, embora já sem poder pontuar para o Europeu de Ralis.

No Campeonato de Ralis dos Açores, Ricardo Moura lidera sem contestação, com um total de prova, ao fim do segundo dia, de 01:14:38,3. Na segunda posição surge Luis Miguel Rego, que está a 3:10,6 do lider.

A fechar o pódio encontra-se Ruben Rodrigues que já está a 7:11,1 de Ricardo Moura.

Quanto ao Nacional de Ralis, a prova é liderada também por Ricardo Moura, seguido de Bruno Magalhães a 04,4 e na terceira posição surge Carlos Vieira a a 38,9 da liderança.

DL

Share