Paulo Mendes e Lúcia Arruda foram eleitos coordenadores do Bloco de Esquerda Açores para os próximos dois anos, substituindo Zuraida Soares.

A primeira reunião da Comissão Coordenadora Regional do partido, que teve lugar esta tarde em Ponta Delgada, apontou a linha política que será seguida nos próximos tempos: combate contra a austeridade e o empobrecimento através de medidas que permitam o relançamento da economia.

Assim, o BE insiste na urgência em investir na reabilitação urbana pública e privada, em aumentar o salário mínimo regional em 10 euros, e o aumento de 15 euros das pensões mais baixas.

Em conferência de imprensa, no âmbito da reunião, Paulo Mendes deu conta do “compromisso do BE em combater as injustiças vividas pelos açorianos”, referindo as propostas do BE para a aplicação imediata do FundoPesca, para a integração imediata dos professores contratados para preenchimento de necessidades permanentes nas escolas públicas, para o cumprimento integral da legislação que insistiu o empréstimo de manuais escolares e almoços para todas as crianças carenciadas em período de férias escolares.

O BE assume que vai continar também a luta contra as constantes derrapagens orçamentais nas obras públicas nos Açores – neste sentido entregou uma proposta de alteração ao Código dos Contratos Públicos nos Açores –, e mantém a luta pelo desenvolvimento dos Açores assente na criação de um instituto público internacional, para as ciências do mar, vulcanologia e alterações climáticas, por forma a acrescentar valor às potencialidades dos recursos da Região.

O recém eleito coordenador do BE/Açores saudou a manifestação da CGTP que decorreu esta tarde em Ponta Delgada e Angra do Heroísmo.

DL/BE