Europa-Bruxelas-Patrão-Neves-Durão-Barroso-eurodeputada

A Eurodeputada Patrão Neves entregou ao Presidente da Comissão Europeia  uma carta em que manifesta a sua“insatisfação por repetidamente os Açores ficarem ausentes dos mapas que a Comissão Europeia apresenta na generalidade dos seus documentos sobre as mais diversas temáticas”.

Nesta missiva, Patrão Neves começa por agradecer a Barroso “a atenção especial que sempre dedicou às Regiões UltraPeriféricas/RUPs, em particular às portuguesas dos Açores e da Madeira, do que fui testemunha durante os últimos cinco anos, sempre com admiração e apreço. Estou perfeitamente ciente de que muitas das variadas expressões por que a discriminação positiva em relação às RUPs se manifestou se ficaram a dever ao seu empenho directo, intensificando algumas das previstas, introduzido novas e travando a perda de algumas outras” – num justo reconhecimento que se impõe na ocasião em que se aproxima o fim do seu mandato à frente da Comissão Europeia. 

Simultaneamente, a Eurodeputada alertou para o que considera que “se tem vindo a tornar cada vez mais evidente ao longo dos últimos anos: a ausência da representação das RUPs, parte integrante do território da União Europeia, em mapas divulgados pela Comissão Europeia, nomeadamente em publicações e power points vários. A generalização desta ausência tem assumido várias formas – por exemplo, os Açores também não figuram na previsão do tempo da Euronews – e é francamente preocupante.” Neste contexto, deixou um apelo a Durão Barroso“estou certa que estará em condições para terminar com esta falha, instruindo os seus serviços e agências da Comissão Europeia para, na impossibilidade de alterar o que já está publicado, terem um especial cuidado na elaboração de futuros documentos e de políticas europeias, em que as RUPs têm de figurar por direito e como motivação para o seu envolvimento no projecto europeu.”  

A carta foi entregue em mão por Patrão Neves ao Presidente da Comissão Europeia, tendo Patrão Neves à saída afirmado que “espera que, antes do termo do mandato da actual da Comissão Europeia, o Senhor Presidente não deixará de tomar todas as medidas que estão ao seu alcance no sentido de garantir que as RUPs mantenham o seu estatuto diferenciado devidamente traduzido em medidas adaptadas e compensatórias dos seus constrangimentos naturais permanentes, sem subestimar a sua valia mais-valia para um projecto europeu cada vez mais amplo e diverso. Aliás, é exactamente isto que o Presidente Barroso me tem dito em todas as reuniões que temos mantido”.

DL/GIPN