Uma edição especial do jornal canadiano LusoPresse, dedicado à cidade de Lagoa, foi lançada esta quarta-feira, dia 30 de agosto, na Biblioteca Municipal Tomaz Borba Vieira, sendo este local escolhido por ser um espaço dedicado às letras e à cultura.

O LusoPresse foi criado por Norberto Aguiar, natural da freguesia do Cabouco, no dia 1 de dezembro de 1996, com o objetivo de servir toda a comunidade lusófona presente no Canadá, mais precisamente no Quebeque, criando assim um jornal canadiano de língua portuguesa.

Em julho de 2016, em Sainte-Thérése, no âmbito da geminação desta cidade com a Lagoa, o LusoPresse publicou uma edição especial bilingue, de forma a celebrar a amizade e a promover o intercâmbio entre as duas cidades irmãs. Este ano, celebrando o seu 20º aniversário, uma equipa de quatro colaboradores do jornal, deslocou-se até aos Açores, com o objetivo de elaborar uma edição especial dedicada à população lagoense.

De salientar que, a primeira geminação da cidade de Lagoa foi com Sainte-Thérése, em 1994 e que, atualmente, conta com 10 cidades irmãs: Sainte-Thérése no Canadá, Dartmouth, Rehoboth, Bristol, New Bedford, Taunton e Fairhaven dos Estados-Unidos da América, Lagoa do Algarve, Biguaçu do Brasil e Santa Cruz da ilha de Santiago no Cabo Verde.

Durante a cerimónia de apresentação do lançamento do jornal, a Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, salientou a importância destas geminações, nomeadamente pela partilha de ideias e conhecimentos.

Por outro lado, a edil lagoense, demonstrou que as pessoas mesmo longe, continuam a contribuir para o desenvolvimento da Lagoa. Foi o caso, mais concretamente, de uma empresária no ramo náutico, oriunda da freguesia do Cabouco e residente nos Estados-Unidos, que ofereceu uma embarcação à Câmara Municipal de Lagoa, permitindo a concretização de um projeto desejado por esta autarquia: criar embarcações de recreio que irão fazer a ligação entre o Porto dos Carneiros e o Porto da Caloura.

Cristina Calisto adiantou que esta embarcação irá ligar os dois portos durante os 12 meses do ano e sempre que as condições climatéricas o permitirem, por forma a potenciar a riqueza do mar lagoense.

Foi com muito emoção e algum nervosismo à mistura, que o proprietário do Lusopresse, Norberto Aguiar, apresentou esta edição especial, referindo que este jornal não se limita apenas a produzir notícias, mas que é, principalmente, um jornal de iniciativas.

De referir que o Lusopresse, no âmbito da Mulher Portuguesa do Quebeque, é o único jornal a promover este Dia Internacional, abordando várias temáticas, nomeadamente: música, literatura e política.

Tanto a autarquia lagoense, como o jornal Lusopresse, afirmaram ter mais ideias e projetos em comum que, muito provavelmente, se irão realizar num futuro próximo.

DL/AS

Share