(c) Gacs
(c) Gacs

O Presidente do Governo afirmou que o seu Executivo tem a perfeita consciência da situação que se vive nos Açores, devido aos contactos que mantém regularmente com os Açorianos e com as empresas, e garantiu que, por isso, vai continuar a trabalhar em soluções para a Região. 

“O Governo tem a consciência exata da situação que as famílias e as empresas açorianas vivem e da necessidade de, efetivamente, continuarmos a trabalhar para lhes apresentar soluções”, salientou Vasco Cordeiro numa intervenção na Assembleia Legislativa, na Horta. 

“Nós sabemos que o Governo não pode fazer tudo, mas também sabemos que o Governo está a fazer tudo o que pode e que deve continuar a fazer tudo o que puder para dar resposta à situação que, neste momento, se vive na Região”, assegurou o Presidente do Governo. 

Na sua intervenção em plenário, Vasco Cordeiro salientou que os últimos anos demonstram uma evolução da situação que se vive nos Açores, na sequência da afetação de “recursos para fazer face às situações com que as Açorianas e os Açorianos são confrontados”. 

Nesse sentido, referiu que, entre 2009 e 2013, foram disponibilizados só para duas medidas criadas na Região – o Complemento Açoriano de Abono de Família e o Complemento para Aquisição de Medicamentos por Idosos – mais de 18 milhões de euros. 

“Esse dinheiro foi entregue às famílias e aos idosos dos Açores. Ajudou pessoas concretas que vivem nas nossas ilhas a ultrapassarem esta fase mais difícil”, frisou o Presidente do Governo, acrescentando que, relativamente ao Complemento Regional de Pensão, o Executivo afetou mais de 24 milhões de euros só no último ano. 

“Esse dinheiro foi entregue aos idosos dos Açores, àqueles que estão numa situação de maior fragilidade, para ajudá-los a ultrapassar estes momentos difíceis que nós vivemos”, disse Vasco Cordeiro, recordando que, entre 2009 e 2013, o valor deste complemento aumentou mais de 20%. 

Vasco Cordeiro salientou, por outro lado, que, no caso das Instituições Particulares de Solidariedade Social, o financiamento público global aumentou este ano de 52 milhões para 53,6 milhões de euros. 

“A verdadeira questão é: onde estaríamos nós, Açorianos, se não tivéssemos as apostas e as políticas que o Governo dos Açores tem criado para apoiar as Açorianas e os Açorianos?”, questionou o Presidente do Governo.

DL/GaCS