O Secretário Regional dos Recursos Naturais anunciou o lançamento do concurso internacional para o corte, venda e reflorestação em São Miguel dos primeiros 103,6 hectares públicos regionais de criptoméria, no âmbito da medida de dinamização da fileira da madeira.

Trata-se de matas localizadas nos Núcleos Florestais da Tronqueira, Achadinha, Lomba de São Pedro e Água Retorta, inseridos no perímetro florestal da Ilha de São Miguel, e matas regionais do Pico Maria da Costa e Bispos/Labaçal, nos concelhos de Nordeste, Ribeira Grande e Povoação.

Numa visita a uma mata de criptomérias, no Perímetro Florestal da Tronqueira-Pedreira, o Secretário Regional exemplificou com a mão-de-obra necessária,  não só aos processos de corte, tratamento e reflorestação que se vão perpetuar, como “à própria valorização da madeira” ou em áreas como “os transportes”.

Outros dos objetivos desta medida do Governo dos Açores são o de potenciar o surgimento de novos negócios na área da transformação e inovação, associadas à fileira da madeira e contribuir para o aumento das exportações.

Aliás, de entre os critérios para a escolha do vencedor do concurso, valoriza-se a proposta que estabeleça o tratamento, transformação e acabamento da madeira na Região e a sua exportação.

Segundo uma nota divulgada, através do gabinete de apoio à comunicação social, Luís Neto Viveiros destacou ainda todo o processo que antecedeu o lançamento do concurso internacional, nomeadamente ao nível da elaboração do Plano de Gestão e de um Estudo das Incidências Ambientais.

O Secretário Regional dos Recursos Naturais revelou ainda que que foi este mês emitida a primeira Certificação da Gestão Florestal (FSC) a nível nacional ao Núcleo Florestal da Achadinha, em São Miguel, que o Governo dos Açores pretende alargar a toda a mata pública.

Trata-se de uma vasta área que também vai ser sujeita a venda, ostentando o “Eco-rótulo” da certificação, valorizando a madeira de criptoméria em mercados mais exigentes, nacionais e internacionais.

DL/ GaCS