Açores-noticias-jornal-digital-diario-Lagoa-pescas-governo-Neto-Viveiros

O Secretário Regional dos Recursos Naturais defendeu, na Cimeira Mundial dos Oceanos, a decorrer em S. Francisco, nos EUA, uma gestão de proximidade para a pesca, como forma de garantir a sustentabilidade dos stocks e o rendimento dos profissionais deste setor.

Luís Neto Viveiros frisou que a Cimeira Mundial dos Oceanos permitiu confirmar a sintonia existente entre os princípios estratégicos da política dos Açores para o Mar e as preocupações internacionais de gestão sustentável.

Nesse sentido, salientou que, como forma de combater a sobrepesca a nível mundial, na primeira sessão plenária da cimeira, “foi dado enfase às pescarias de pequena escala, de forma a garantir a sustentabilidade dos stocks e o rendimento dos agentes da pesca”.

A comissária europeia Maria Damanaky abordou a dimensão do crescimento económico azul na nova política marítima europeia que, segundo o Secretário Regional, “tem como meta criar um número significativo de empregos na Europa até 2020”.

Mais concretamente, sublinhou Neto Viveiros, “nas cinco áreas identificadas como mais promissoras para o crescimento azul, que são a energia, a aquacultura, o turismo, a biotecnologia e a exploração sustentável dos recursos minerais marinhos”.

Na mesma sessão foi dado ênfase também à importância do conhecimento científico que tem um papel de charneira entre a economia e a conservação dos recursos e do ambiente marinho, um compromisso que o Governo dos Açores reconheceu ser um desafio, afirmando o Secretário Regional que é “indispensável para colocar os oceanos no centro do desenvolvimento das sociedades modernas”.

O Governo dos Açores está presente na Cimeira Mundial dos Oceanos – World Ocean Summit 2014, que hoje termina em São Francisco, nos Estados Unidos, sob o tema a “Sustentabilidade e a Governança dos Oceanos”, com o propósito de aprofundar a sua estratégia de desenvolvimento sustentável da economia do mar, em sintonia com as grandes linhas de política internacional.

O encontro, ao mais alto nível, é promovido pelas revistas The Economist e National Geographic, e reúne líderes governamentais mundiais, assim como diversas personalidades das áreas da política, economia, ciência e ambiente.

DL/Gacs

Share