A profissão deve ser mais que um emprego, deve ser uma maneira de viver”. Assim considera Frias Martins, presidente da Sociedade Afonso Chaves, que falava na abertura da Feira das Profissões, a decorrer esta sexta-feira e sábado, dias 2 e 3 de maio, no Expolab na Lagoa. 

Intitulada “Feira das Profissões: Vocação e Emprego”, a feira acontece numa parceria entre o Expolab e a Casa do Cabouco. 

Frias Martins refere que surge com objetivo de mostrar alguns caminhos para o futuro, juntando a vocação e o que há disponível, sendo uma feira que encaixa nos desígnios da sociedade e do próprio Expolab. 

Esta feira pretende dar a conhecer aos mais jovens a realidade do mercado de trabalho, as áreas de estudo que poderão seguir, diferentes oportunidades de carreira e proporcionar o contacto direto com entidades e empresas locais. 

No âmbito da abertura oficial desta feira das profissões, Elisabete Tavares destacou o papel que as autarquias têm e o que podem fazer com os seus recursos em termos materiais, físicos e humanos colocando ao dispor das várias parcerias, com o objetivo de ser facilitadores para o sucesso dos eventos. 

A vereadora da autarquia lagoense, deixou igualmente a esperança, que no próximo ano, que o Nonagom, edifício que está a ser contruído junto ao Expolab, possa enriquecer esta feira com a componente tecnológica, alargando assim a parceria. 

Já o presidente da Casa do Povo do Cabouco, César Pacheco, reforçou a importância da parceria, sendo essencial disponibilizar toda a informação possível, essencialmente aos desempregados, por forma a ser uma ajuda no encontrar de uma solução futura, reconhecendo ser um desafio grande. 

Marcam presença nesta feira várias entidades mostrando alguns possíveis caminhos de emprego. 

Nos dias 2 e 3 de maio, no Expolab, haverá stands expositivos de diversas empresas e entidades para esclarecimentos sobre as suas áreas de ação, disponibilizando-se os seus colaboradores a explicar o trabalho que desenvolvem e quais as saídas profissionais do sector. 

 A Sociedade Afonso Chaves, é uma sociedade científica e cultural, sendo a mais antiga dos Açores criada em 1932, é quem gere o Expolab, um centro inaugurado em ano em que se comemorou o bicentenário de Charles Darwin, que inventou a teoria da evolução.

A destacar ainda que, em 2013, o Expolab foi reconhecido como Centro e Ciência Viva, sendo um dos vinte existentes em Portugal, havendo neste momento dificuldades de financiamento para assegurar o lugar de quem desempenha as funções no Expolab, para que não haja uma regressão do que já foi feito.

“Um projeto que está vivo na dinâmica que o centro tem”, refere o presidente da Sociedade Afonso Chaves, destacando que este faz um caminho de formação, sendo conhecido nas escolas, apresentando ciência de uma forma divertida e de uma forma operacional.

DL