Trilho-pedreste-Lagoa

A Câmara Municipal de Lagoa apresentou uma candidatura à acreditação do trilho pedestre “Janela do Inferno”, que se encontra inserido na Rota da Água.

Com vista a obter um percurso pedestre classificado e no âmbito do desenvolvimento turístico do concelho, a Câmara Municipal de Lagoa decidiu apostar numa clara e eficiente manutenção e dinamização para certificar os trilhos pedestres do concelho. Neste sentido, João Ponte, presidente do município, refere “ser propósito deste executivo camarário homologar alguns trilhos como forma de atrair mais visitantes ao concelho, como é o caso do trilho pedestre “A Janela do Inferno”.

Situado no lugar dos Remédios, na freguesia de Santa de Cruz, o trilho pedestre da “Janela do Inferno” compreende uma extensão de 7,82 Km, num percurso que tem a duração de aproximadamente 3h30. Ao longo de quase todo o percurso existem diversificadas edificações de condutas de água para o abastecimento da população e a vista é privilegiada, podendo vislumbrar-se tanto o concelho de Lagoa, como o de Ponta Delgada, para além da vista panorâmica do Pico da Barrosa.

 O trilho em causa é de terra batida, tem início no parque de merendas dos Remédios e desenvolve-se pela estrada dos Romeiros, que sobe em direção à Lagoa do Fogo. Este é constituído por antigos aquedutos que servem de passagem em forma de túnel. É de salientar que estes aquedutos, no passado, serviam a antiga Fábrica do Álcool da Lagoa e atualmente servem de abastecimento público à população do concelho.

A denominação deste trilho justifica-se pelo facto de, no encontro de uma parede traquítica vertical, rica em nascentes e com diversas estruturas de captação de água ser possível observar uma cavidade, criada pelo poder da água, que ficou popularmente conhecida por “Janela do Inferno”.

Para a autarquia lagoense, o Turismo continua a ser um setor estruturante e fundamental para o desenvolvimento da atividade económica local, visto que, cada vez mais os turistas que visitam os Açores praticam pedestrianismo, bem como os próprios residentes no arquipélago que, cada vez mais praticam este tipo de atividades. 

DL