Manual de Saúde Escolar pretende uniformizar procedimentos

Joao-Soares-diretor-educação-governo-açores-manual

O Diretor Regional da Saúde afirmou, esta sexta-feira (dia 19), que o Manual de Operacionalização da Área de Intervenção na Promoção da Saúde em Contexto Escolar é um documento de “grande importância para a normalização de procedimentos em todas as equipas de saúde escolar da Região”. 

João Soares, que falava na apresentação publica do manual, que é implementado conjuntamente pelas direções regionais da Saúde e da Educação, frisou que se trata de “um auxiliar fundamental na tomada de decisão”, acrescentando que “permite uma utilização dos recursos com equidade e eficiência”. 

O manual, que entrou hoje em vigor, abrange a saúde individual e coletiva, a inclusão escolar das crianças com necessidades educativas especiais, a promoção de um ambiente seguro e a promoção da saúde e da literacia em saúde. 

O Diretor Regional frisou que, com a implementação do Sistema de Vigilância de Comportamentos de Risco, “foi possível fazer um diagnóstico de situação e estabelecer prioridades de intervenção que vão ao encontro das necessidades detetadas em cada escola”. 

Segundo João Soares, esta é uma metodologia seguida “pela primeira vez nos Açores”. 

Cada equipa de saúde escolar, que integra elementos das unidades de saúde e das escolas, fica com a obrigação de proceder à elaboração de um plano de atividades no início do ano e de apresentar, no final do ano letivo, um relatório com as ações realizadas. 

Todas as atividades serão registadas informaticamente, permitindo “uma avaliação contínua das medidas implementadas e a possibilidade de poderem ser alvo de melhoria sempre que seja necessário”, afirmou. 

A Direção Regional da Saúde estabeleceu como meta uma avaliação de 83% dos indicadores previstos no Plano Regional de Saúde, na área da saúde escolar. 

O manual inclui a realização de rastreios visuais, auditivos, de saúde oral, de obesidade e de hipertensão arterial, estando também previstos exames globais de saúde aos cinco anos, que integram exame físico, avaliação estatoponderal e psicomotor, da visão, da audição, da boca, dos dentes, da postura e da linguagem, e aos 12-13 anos a avaliação dos mesmos parâmetros e do estádio pubertário. 

No âmbito da promoção da saúde estão previstas também ações na área da saúde afetivo-sexual e reprodutiva, bem como ações de acordo com os resultados do inquérito previsto no sistema de vigilância de comportamentos de risco, realizado junto de alunos do 6.º ao 12º ano de escolaridade.

DL/Gacs

Categorias: Educação

Deixe um comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*