2º Encontro Diocesano de acólitos centrado na alegria do Envangelho

2_encontro_diocesano_do_acolito-600-400

Mais de uma centena de jovens, entre os 10 e os 30 anos, participou no 2º Encontro Diocesano de Acólitos, que se realizou este sábado nos Mosteiros, na ilha de São Miguel. 

O encontro de “formação” teve como tema central a vivência da Alegria do Evangelho, na sequência das propostas feitas pelo Papa Francisco na Exortação Apostólica do inicio do pontificado, e foi orientado pelo Diretor do Serviço Diocesano para a Liturgia, Pe Marco Luciano e pelo pároco dos Mosteiros, Pe Marco Sérgio Tavares.

A formação,  repartida em três partes: uma mais “prática para colocar os acólitos em contacto com as alfaias litúrgicas”, outra de formação espiritual e, finalmente, o convívio, visa “consolidar” os conhecimentos dos acólitos. 

Durante a formação foram ministrados conhecimentos sobre os nomes das alfaias litúrgicas, os paramentos, as cores dos paramentos de acordo com os vários momentos, os livros litúrgicos e, sobretudo, como acolitar.  

“A parte prática é muito importante porque os acólitos têm de saber estar numa celebração e para isso precisam de conhecer e de saber qual é o seu lugar e qual a função de cada alfaia especifica”, sublinha o responsável diocesano Marco Luciano. 

Durante a formação houve um momento de adoração eucarística onde existiu uma invocação muito especial das crianças, dos jovens e dos adultos perseguidos por causa da religião. 

O Segundo Encontro terminou com a celebração da Eucaristia e um convívio. 

A organização quer levar esta iniciativa a todas as ilhas de forma a que se “promova uma verdadeira formação para todos aqueles que acolitam nas celebrações”. 

O primeiro encontro decorreu no Pico. O facto da Diocese de Angra ser geograficamente dispersa “implica que tenhamos de fazer este esforço de formação continua levando-a a cada uma das ilhas pois as deslocações ainda têm um custo elevado”, remata o responsável diocesano pela pastoral litúrgica. 

DL/Portal Diocese 

Categorias: Religião

Deixe um comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*