“Além do Azul” no Convento dos Franciscanos

O convento dos Franciscanos, em Santa Cruz, na Lagoa, tem patente ao público a exposição de fotografia subaquática, intitulada “Além do Azul”, da autoria de Nelson Raposo.

Até 23 de novembro, os visitantes poderão ver espécies e aspetos invisíveis e misteriosos do mar dos Açores.

O autor, Nelson Raposo, homem do mar, que convive, em diversas atividades, com o mesmo, expõe um conjunto de vinte imagens subaquáticas, que, começando por visões gerais do mundo submarino, avançam, depois, para a intimidade com várias espécies.

E é essa aproximação, proporcionada pelas fotografias MACRO que revela detalhes inéditos e fascinantes, e que nos desafia a explorar a face menos conhecida do mar, que é, pela sua riqueza em recursos de vária ordem, tão cobiçada.

Segundo o autor, a inauguração da exposição tratou-se de um momento importante, pela presença dos convidados, familiares e amigos.

Adiantou na altura que, após ser convidado a expor, em cerca de seis meses tentou obter as fotografias expostas, onde pretende mostrar outras espécies e centrou a exposição nos pormenores do ma, mostrando o que a maioria das pessoas não consegue ver.

Trata-se da sua terceira exposição individual e a segunda subaquática e a segunda exposição realizada na Lagoa.

Por outro lado, segundo Albertina Oliveira, vereadora da autarquia lagoense, o Convento dos Franciscanos é o espaço onde a Câmara concentra a maior parte da sua dinâmica cultural educativa.

Recorda que este é um espaço que recebe, este ano, pela primeira vez, um jantar temático, no caso concreto a Feira Franciscana.

Trata-se de uma aposta da autarquia e que em 2019 terá a sua continuidade. “O objetivo é termos jantares temáticos relacionados com a história deste espaço, dando outra dignidade ao Convento dos Franciscanos”, realçou ao Jornal Diário da Lagoa.

A Ceia Franciscana decore no próximo dia 28 de setembro, em que os participantes irão estar vestidos da época, tendo que fazer, para isso, a reserva das suas vestes. A parte gastronómica será também toda muito cuidada e a condizer com o tema, assim como toda a ornamentação do espaço.

Segundo recorda Albertina Oliveira, haverá muita música e teatro, terminando a noite com um grande baile, sendo que estão a ser criadas todas as condições para uma noite diferente, numa viagem no tempo.

Isto quando a Lagoa tem-se assumido como um concelho que aposta na cultura, estando a decorrer igualmente o Inspiral, um projeto itinerante assente na Cultura, Educação, História e Juventude, que pretende congregar as forças vivas do concelho e das suas gentes, ao longo do ano, por diversos espaços e equipamentos culturais das várias freguesias do concelho de Lagoa.

Ainda segundo Albertina Oliveira, trata-se de um projeto que se pretende que abranja as escolas, onde irão trabalhar com os clubes de música destas.

“O objetivo é levar alguns artistas deste projeto, que irá trabalhar com a filarmónica e/ou clube de música para levar ao palco ao evento final do Inspiral em 2019”, realçou.

A organização tem associado a vertente gastronómica a cada um dos eventos, sendo que, no próximo evento, que decorre no Cine Teatro Lagoense, a 6 de outubro, em destaque estará a queijada de batata, confecionada pelo Centro Socio Cultural da Atalhada, da freguesia de Nossa Senhora do Rosário.

Segundo Albertina Oliveira, na Lagoa, a cultura e a educação andam de mãos dadas, tentando trabalhar em conjunto estas duas vertentes, para que as pessoas possam ser inspiradas para a cultura, procurando os espaços do concelho.

Segundo adiantou, trata-se de um processo educativo sendo esse objetivo da autarquia, “educar as pessoas para…”.

DL
(Artigo publicado na edição impressa de outubro de 2018)

Categorias: Cultura, Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*