Lagoa foi palco do “melhor europeu de sempre” de Patinagem Artística

A Cidade de Lagoa foi palco da edição 2018 do Campeonato da Europa da Patinagem Artística. Tratou-se maior evento da modalidade que a Associação de Patinagem de São Miguel (APSM) organizou.

José Raimundo, Presidente da associação, que fez um balanço positivo do evento, adianta que a responsabilidade foi grande. “O balanço é muito positivo. Foi um grande desafio à nossa estrutura e capacidade organizativa na qual soubemos estar ao mais alto nível, à altura deste grande evento que acabou por ser reconhecido como o Melhor Europeu de Sempre”, referiu em entrevista ao Jornal Diário da Lagoa.

Segundo o responsável associativo, a responsabilidade era muito grande e envolvia muitas pessoas. Segundo adiantou, “em causa estava a imagem dos Açores, da nossa Associação e de todos os que apoiaram este grande evento e conseguimos todos juntos surpreender a Europa”.

Segundo José Raimundo, foram muitos os testemunhos de que este foi o melhor Europeu de sempre, quer pela World Skate Europe (WSE), quer pela Federação Portuguesa de Patinagem, quer pelos países que marcaram presença neste importante evento. “É gratificante receber um e-mail da WSE a agradecer à organização e informar que não tiveram nenhuma reclamação dos países presentes. É gratificante ouvir da Alemanha, o próximo organizador do Europeu, dizer que elevamos demais a fasquia e que será difícil fazer igual”, destacou.

Segundo o Presidente da APSM, este europeu trouxe ganhos para a patinagem açorina, para a região no geral e Lagoa em particular. “A patinagem açoriana, para além da forte promoção da modalidade, teve a oportunidade de assistir aos melhores atletas da Europa e em alguns casos até do mundo, os nossos clubes já sentem uma grande número de atletas interessados em se inscrever na modalidade”.

Segundo referiu ao nosso jornal, a Região e a Cidade de Lagoa, tiveram uma excelente oportunidade de promoção do destino Açores, “Lagoa pela Europa fora”, para além do impacto económico direto no comércio local.

José Raimundo recordou que em breve a associação vai divulgar o impacto económico desta organização por entender que quem recebe dinheiros públicos não faz mais do que a sua obrigação. “É importante fazer ver, e perceber, que o evento tem muito retorno face ao investimento público.

Neste Campeonato da Europa, deslocaram-se para a prova 465 pessoas, 250 atletas, 176 elementos do staff entre treinadores, dirigentes, médicos e fisioterapeutas, 23 juízes, 7 elementos da Federação e 9 elementos do Comité Europeu, fora aos acompanhantes que estima a APSM em cerca de 600 pessoas.

Foi sem dúvida mais um momento histórico para a Patinagem Artística Açoriana, ao organizar a maior prova Europeia de Patinagem, fruto igualmente da excelência que tem sido os resultados dos patinadores açorianos.

Este é de resto um reconhecimento pelo trabalho desenvolvido em prol desta modalidade e foi, sem dúvida, um momento único. Há mesmo quem afirme ser este um sonho, tornado realidade para várias gerações, que ao longo destes anos elevaram a modalidade ao nível atual.

A cereja no topo do bolo surgiu com a convocatória do patinador açoriano do Clube de Patinagem de Santa Cruz, Daniel Moniz, que representou Portugal nesta importante prova, o qual ficou classificado em 5º lugar.

DL

Categorias: Desporto

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*