Autarquia colocou em discussão pública o projeto de Regulamento do Museu de Lagoa-Açores

A Câmara Municipal de Lagoa colocou em apreciação pública, pelo prazo dos próximos 30 dias, o projeto de Regulamento do Museu de Lagoa-Açores (ML-A). O projeto foi publicado esta quarta-feira, dia 18 de julho em Jornal Oficial da Região Autónoma dos Açores.

A autarquia fez saber que os interessados deverão apresentar as suas reclamações, observações ou sugestões, por escrito, na Divisão de Administração Geral da Câmara Municipal, sendo as mesmas dirigidas ao Presidente da Câmara Municipal.

Segundo o projeto em discussão pública, a missão do ML-A é a salvaguarda da memória e a construção da identidade locais, numa ótica de desenvolvimento integrado e sustentado. A satisfação desse desígnio é cumprida com a investigação, conservação, documentação, valorização, divulgação, aquisição e difusão dos testemunhos materiais e imateriais do Homem, funções básicas da atividade museal que embora centradas na área do concelho de Lagoa – Açores, visam a contextualização numa perspetiva mais ampla de âmbito regional, nacional e até internacional. Nesse pressuposto o ML-A incorpora o Museu, a Biblioteca Municipal Tomaz Borba Vieira e o Arquivo Histórico, que são os três pilares da memória concelhia.

O reforço quer da cidadania quer da democratização da cultura constitui objetivo central do ML-A.

A instituição que se compromete a desenvolver e investir em áreas como a história do concelho de Lagoa (enquadrada na história regional, nacional e internacional) bem como a arte contemporânea e as ciências, acolhendo outras instituições museológicas concelhias, não necessariamente tuteladas pelo município; Promover a cultura através da realização de exposições, de longa duração e temporárias, recorrendo às suas coleções, a espólios privados, e a acervos de outras instituições públicas; Contribuir para a interpretação dos conteúdos expositivos através dos seus serviços educativos; Promover atividades de divulgação cultural através de seminários, conferências e debates; Dinamizar as atividades e atualizar os acervos da Biblioteca Municipal Tomaz Borba Vieira e do Arquivo Histórico; Articular as suas atividades com os estabelecimentos de ensino; Desenvolver a produção e comercialização de peças que contribuam para promover a cultura; Colaborar com todas as instituições congéneres movidas por idênticos propósitos, lê-se no documento.

O Museu da Lagoa-Açores terá a sua sede no antigo convento de Santo António, construído no século XVIII e classificado como imóvel de interesse público sendo composto por vários núcleos museológicos, dotados de áreas de acolhimento dos visitantes, de exposição, de serviços educativos, de reservas e de serviços técnicos e administrativos.

Os núcleos museológicos são o convento de Santo António, o núcleo museológico da Casa do Romeiro, a Casa da Cultura Carlos César, o núcleo museológico do Cabouco, e a Mercearia Central – Casa tradicional.

Também integram a estrutura da instituição, como entidades parceiras, a Coleção Visitável da Matriz de Lagoa, e os núcleos museológicos da Ribeira Chã, ambos sob alçada das respetivas paróquias, o Centro Cultural da Caloura, e a Tenda do Ferreiro Ferrador, de competência privada e o Observatório Vulcanológico e Geotérmico dos Açores, coordenado pela respetiva associação.

Por outro lado, e ainda segundo o projeto, o ML-A pretende cooperar com outras instituições, nomeadamente, museológicas, de investigação e de ensino dos diversos ciclos, de modo a aprofundar o estudo, investigação e divulgação dos bens culturais, nomeadamente no desenvolvimento de programas de mediação cultural e atividades educativas de modo a promover um acesso alargado e integrador às manifestações culturais; na articulação programática com o sistema de ensino, nomeadamente no âmbito dos conteúdos do currículo regional; nas atividades e programas supramencionados orientam-se para a promoção da cidadania e para a aprendizagem ao longo da vida, e pautam-se pelo respeito pela diversidade e pela integração quer social, quer dos fluxos turísticos.

DL

Categorias: Cultura, Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*