D. Ximenes Belo preside a missa campal das XV Grandes Festas do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada

D. Ximenes Belo, Prémio Nobel da Paz, foi convidado de honra das Grandes Festas do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada e, falando na Missa da Coroação, afirmou que “todos nós, enquanto devotos do Espírito Santo, estamos chamados a sermos evangelizadores, missionários, catequistas, testemunhas do Espírito Divino em qualquer situação em que nos encontremos”.

Através de uma leitura do mundo atual, em que se assiste a guerra, conflitos, perseguições, analfabetismo, drama dos emigrantes, fome, sustentou que “o mundo continua a carecer de profetas que falem de Deus”, apelando à missionação e ao amor, caridade, partilha, solidariedade e tolerância.

O Bispo Emérito de Díli expressou ser uma honra celebrar a Eucaristia neste dia “tão especial para os devotos do Espírito Santo e para os açorianos, que nas Ilhas e na diáspora, têm mantido viva esta bela tradição das festas do Espírito Santo”, o que constitui uma nota dominante na cultura religiosa açoriana.

“Os açorianos, ao serem enviados para todo o mundo, Oriente, Canadá, EUA, Brasil, Europa, para serem testemunhas da Santidade de Deus no mundo” estão a exercer a sua profetização, acrescentou, lembrando que “Ninguém é profeta na sua terra”, como aconteceu com Jesus Cristo.

A missa campal, que foi transmitida pelo canal 1 da RTP, RTP Internacional e RTP Açores, foi concelebrada por vários sacerdotes, entre eles o pároco da Matriz, paróquia que acolhe esta “mordomia”, Pe Nemésio Medeiros; pelo Cónego António Rego, que desde a primeira hora tem sido uma presença constante nesta festa; e pelo Pe José Carlos, de Montreal (Canadá).

Participaram na celebração eucarística, entre outras entidades, o presidente e os vereadores da Câmara Municipal de Ponta Delgada, o presidente da Assembleia Municipal de Ponta Delgada, o vice-presidente da Câmara Municipal de Alenquer, os presidentes das 24 freguesias de Ponta Delgada, mordomos de todo o concelho, e centenas de devotos.

A missa foi animada pelo coral de São José, dirigido pelo maestro Luís Filipe Carreiro, e contou com a participação da folia da Covoada, um grupo de cantares tradicionais do Espírito Santo que entrou na celebração na altura do ofertório, que reverteu a favor da reconstrução da Escola D. Carlos Ximenes Belo, na freguesia natal de D. Ximenes Belo, Quelicai, município de Baucau, em Timor Leste.

No final e antes da bênção, D. Ximenes Belo procedeu ainda à coroação de pessoas oriundas das freguesias do concelho de Ponta Delgada.

DL/CMPD

Categorias: Cultura, Religião

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*