Governo da República deve assumir reforço da PAC e do POSEI para os Açores, se Portugal não assegurar na Europa o aumento das verbas

António Almeida defendeu que cabe ao Governo da República assumir o reforço da dotação orçamental da PAC e do POSEI destinados aos Açores, se das negociações entre Portugal e a Comissão Europeia não resultarem o aumento das verbas que serão inscritas no Quadro Comunitário de Apoio para 2021-2027.

O porta-voz do PSD/Açores para a Agricultura falava depois da reunião dos deputados do PSD/Açores no parlamento açoriano com Jorge Rita, presidente da Associação Agrícola de São Miguel e da Federação Agrícola dos Açores, na véspera da visita do Comissário Europeu da Agricultura, Phil Hogan, aos Açores.

Segundo o parlamentar, “é o Governo da República que tem a responsabilidade, na negociação com a Comissão Europeia, de fazer um esforço para garantir aos agricultores dos Açores, Região Ultraperiférica reconhecida no Tratado Europeu, uma resposta que satisfaça as suas necessidades de financiamento”, afirmou.

O deputado lembrou, inclusive, que o parlamento açoriano aprovou recentemente, por proposta dos social-democratas açorianos, uma recomendação ao Governo regional para que intervenha junto do Governo da República para que seja negociado com a Comissão Europeia um reforço do POSEI para os Açores no quadro do estatuto de Região Ultraperiférica.

Em relação ao 2.º pilar da PAC, António Almeida considera que a proposta da Comissão Europeia de cortar 15% das verbas para o desenvolvimento rural também constitui um motivo de preocupação para o PSD/Açores.

DL/PSD

Categorias: Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*