Governo dos Açores executa e cumpre compromissos assumidos com os Açorianos

O Vice-Presidente do Governo afirmou que o Governo dos Açores está a executar e a cumprir os compromissos assumidos com os Açorianos, adiantando que 88 por cento de execução orçamental global em 2017 é uma “uma boa taxa de execução”.

Sérgio Ávila, que falava na Assembleia Legislativa durante um debate de urgência sobre a execução do Plano Regional Anual de 2017, manifestou orgulho pela taxa de 88 por cento de execução orçamental que foi registada, e que inclui todas as componentes e o investimento (capítulo 50).

“Prova dos últimos quatro anos, em cada 10 euros que dissemos que íamos investir e executar do orçamento, executamos nove euros”, frisou Sérgio Ávila, considerando que, em termos de classificação académica, a execução seria classificada como “muito bom”.

O governante lembrou que o Plano de 2017, aprovado pela Assembleia Legislativa, contemplava uma redução de seis milhões de euros, salientando, no entanto, que a sua execução foi “em seis milhões de euros superior ao ano anterior, em 11 milhões de euros superior a 2015 e em 56 milhões de euros superior ao Plano de 2014”.

“O capítulo 50, que está aqui em análise, refere-se apenas às transferências correspondentes à parte não comparticipada do Fundo Social Europeu (15 por cento) para o Fundo Regional do Emprego”, revelou o governante, adiantando que, no ano passado, a execução do projeto Emprego e Qualificação Profissional representou um “valor mais elevado, ou seja, 54 milhões de euros”.

No que diz respeito às transferências de 300 milhões de euros, previstas no Orçamento da Região Autónoma dos Açores de 2017, para o Serviço Regional de Saúde, o Vice-Presidente assegurou uma “execução a 100 por cento”, referindo que o valor “demonstra bem a prioridade” que foi dada ao Serviço Regional de Saúde e ao seu financiamento.

Na Assembleia Legislativa, Sérgio Ávila defendeu ainda a necessidade, visando um maior rigor, de a abordagem à execução do plano de investimentos ser feita na “globalidade e em todas as componentes orçamentais”.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*