PSD/Açores propõe que a SATA Air Açores alugue aviões para assegurar, de forma adequada e eficaz, mobilidade inter-ilhas de açorianos e turistas

O PSD/Açores recomenda ao Governo regional a contratação de aviões para reforçar, durante o verão IATA 2018, a frota da SATA Air Açores. Esta iniciativa dos social-democratas visa evitar que se repitam os constrangimentos ocorridos no ano passado na operação inter-ilhas da transportadora aérea regional.

“Sabe-se que a atual operação da SATA Air Açores está planeada para este verão, à semelhança do verão de 2017, no limite da ofera, condicionada pelo número limitado de aeronaves e claramente incapaz de satisfazer a procura”, assegurou António Pedroso, sublinhando que “é urgente encontrar soluções”.

O deputado do PSD/Açores falava na apresentação do projeto de resolução do grupo parlamentar do PSD/Açores que recomenda ao executivo que promova a contratação de um número de aviões necessários, em regime de ACMI (Aircraft, Crew, Maintenance and Insurance), para que a SATA Air Açores dê uma resposta adequada às necessidades dos açorianos e de quem nos visita.

Segundo António Pedroso, a proposta do PSD/Açores “visa, simultaneamente, assegurar a mobilidade dos açorianos de uma forma atempada, em particular daqueles que se deslocam das suas ilhas por motivos de saúde, e garantir ainda uma distribuição eficaz e equitativa dos turistas por todas as ilhas da Região”.

O deputado denunciou ainda os “entraves com que muitos utentes do Serviço Regional de Saúde se deparam quando têm de sair das ilhas onde não existe hospital para tratamento em São Miguel, Terceira e Faial, entraves que passam por ter de ficar períodos mais longos à espera de voos de regresso às suas ilhas”.

António Pedroso clarificou ainda que, para os social-democratas açorianos, “não seria sensato da nossa parte recomendar, no imediato, a compra de um número maior de aviões para a operação inter-ilhas, tendo em conta a sazonalidade do nosso turismo e consequentemente da procura turística”.

DL/PSD

Categorias: Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*