PS quer partidos unidos para defender um Orçamento Europeu justo para os Açores

O Grupo Parlamentar do PS/Açores vai apresentar, na Sessão Plenária da próxima semana, uma Proposta de Resolução para que a “Assembleia se pronuncie, globalmente, sobre a proposta de Orçamento Europeu agora conhecida”.

O líder da bancada socialista na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, que falava em conferência de Encerramento das Jornadas Parlamentares, quer que todas as forças políticas se unam, “para que se consiga obter um ter um posicionamento global, em força, de forma coordenada e articulada entre todos” e, para que se saiba “que os representantes políticos dos Açorianos, não aceitam uma proposta que prejudique a Agricultura dos Açores”.

O PS/Açores considera que “a proposta inicial da Comissão Europeia é insuficiente e desadequada”, mas André Bradford, sublinha que o momento não é para desistir, mas sim para unir esforços. “É um processo negocial que deu o seu primeiro passo, não estamos na fase de discutir como é que cada país, internamente, vai distribuir a proposta da União Europeia (…), portanto, quem agora disse que a Região devia estar a pedir à República para compensar os eventuais cortes, está a prejudicar o esforço negocial do Pais”.

Sobre o diálogo com os agentes do setor agrícola, André Bradford destaca que, apesar das discordâncias que são conhecidas, existe “sintonia” quanto a questões fundamentais quanto ao futuro da economia dos Açores. “Concordamos que há uma necessidade muito grande de inovar naquilo que se produz e, com isso, adicionar à matéria prima – que é de extrema qualidade – valor, vende-la melhor”, exemplificou André Bradford.

Durante os últimos dois dias os deputados do PS/Açores procuraram visitar e contatar “bons exemplos daqueles que trabalhando nesta área foram capazes de transformar esses desafios em oportunidade. Verificamos que há muita gente com um espírito muito positivo de transformação de um setor que é tradicional na nossa economia, num setor moderno e alinhado com as mais recentes tendências de mercado e com a evolução da nossa própria economia”.

Quanto aos problemas que afetam o setor agrícola, André Bradford considera que, em relação ao preço do leite pago ao produtor, não é “aceitável” o preço médio que se tem pago e, defende que a indústria deve ser tão “rápida” em tempos de retoma, como é em tempos de crise.

DL/GPPS

Categorias: Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*