Diretora Regional da Energia defende importância do reforço da cooperação europeia neste setor

A Diretora Regional da Energia defendeu, em Bruxelas, a importância do reforço de cooperação, posicionamento e importância dos Açores e das Regiões Ultraperiféricas para a transição energética na União Europeia, salientando que se trata de um “setor particularmente dinâmico e em revolução tecnológica”.

Andreia Carreiro falava à margem da 13.ª Semana da União Europeia para a Energia Sustentável, que reuniu decisores políticos, autoridades públicas, representantes da indústria, organizações não governamentais, investigadores e académicos, entre outros intervenientes, consolidando o compromisso europeu na transição para uma energia mais limpa, inteligente e descarbonizada que impulsionará o espaço económico europeu a atingir as metas assumidas no Acordo de Paris, em linha com a iniciativa ‘Clean Energy for EU Islands’, lançada em maio de 2017.

No âmbito desta deslocação a Bruxelas, a Diretora Regional reuniu-se com a Direção-Geral da Energia da Comissão Europeia, onde apresentou o ponto de situação energético, as ambições e os desafios inerentes aos nove microssistemas isolados de energia existentes nos Açores, que se apresentam como um laboratório vivo privilegiado e que se pretende que sejam palco de projetos que valorizam o potencial natural e endógeno do arquipélago e que primem pelo recurso às tecnologias emergentes e inovadoras, dando ênfase à exploração do potencial geotérmico, que já tem uma representatividade de 66% no âmbito das fontes renováveis e endógenas.

Nesse sentido, salientou que tem sido incrementada “a poupança relativamente à importação de combustíveis fósseis, protegendo a economia regional de fatores externos, como o preço do barril de petróleo, ao mesmo tempo que permite um forte contributo para a autossuficiência energética da Região, no caminho do desenvolvimento descarbonizado do arquipélago”.

Andreia Carreiro afirmou ainda que “os Açores são sinónimo de natureza no seu estado puro, sendo identificados além-fronteiras pelas suas práticas sustentáveis, onde o setor energético se constitui como via essencial para aprimorar este desígnio, com base em práticas inovadoras e emergentes, materializadas em ações que convergem para as metas da União Europeia na matéria”.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*