Água de Pau celebra Festas do Divino Espírito Santo

A Câmara Municipal de Lagoa vai organizar, à semelhança dos anos anteriores, no Largo de Santiago, em Água de Pau, as tradicionais Festas em honra do Divino Espírito Santo – Império de S. Pedro.

Pelo 5º ano consecutivo, o Império de S. Pedro é organizado pela Câmara Municipal de Lagoa, sendo uma celebração que alia várias componentes: religiosa, cultural, social e histórico, na medida em que revela a identidade do povo açoriano através das suas tradições.

No âmbito do programa destas festas, no dia 22 de junho, pelas 20h30, haverá a bênção da dispensa da massa e da carne e a abertura do quarto do Divino Espírito Santo, com a participação da Sociedade Filarmónica Fraternidade Rural, seguindo-se da atuação do Grupo Foliões Covoada e do Grupo de Cantares Vozes do Mar do Norte.

No sábado, dia 23 de junho, às 10h00, serão distribuídas cerca de 300 pensões aos portadores do cartão “Lagoa + Saúde”, estando previsto, pelas 21h00, a atuação do Grupo Filhos da Terra e, pelas 22h30, da Banda Musical Jeremias Piques, acompanhado pelo fadista César Madeira e seus acompanhantes Rui Baganha, Ana Cardoso e de Cantorias ao Desafio com vários artistas.

Já no domingo, dia 24 de junho, pelas 10h15 inicia-se o cortejo que sai da ermida de Santiago e termina na igreja de Nossa Senhora dos Anjos, acompanhado pelo Grupo Filhos da Terra. Pelas 11h00, segue-se a celebração da Eucaristia com coroação, presidida pelo Reverendo Padre João Martins Furtado. Às 16h00, será realizada a habitual procissão com coroação dos impérios do concelho de Lagoa, seguindo-se pelas 18h30, da partilha das sopas do Divino Espírito Santo na Rua da Ribeira e no Largo de Santiago, culminando com a animação musical do Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz, do Grupo de Cantares Vozes do Monte Santo e do Grupo de Cantares Fonte Nova, oriundos da Lagoa do Algarve. As festas terminam, pelas 24h00, com o Sorteio das Domingas e a habitual procissão de velas.

Citada numa nota de imprensa enviada às redações, a Presidente da Câmara Municipal de Lagoa diz acreditar que “estas festas religiosas são demonstrativas da tradicionalidade do povo açoriano, nomeadamente do espírito de partilha e confraternização, quando se unem para celebrar a sua fé e devoção ao Espírito Santo através da elaboração do quarto que honra o mesmo, a coroação e a procissão, bem como valorizam a gastronomia típica, mais especificamente a partilha das sopas do Espírito Santo, arroz doce e massa sovada, ingredientes que não podem faltar nestas tradicionais festas”.

DL/CML

Categorias: Cultura, Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*