Rastreio de Cancro da Mama chegou a 112 mil mulheres nos Açores em oito anos

O Programa de Rastreio de Cancro da Mama, do Centro de Oncologia dos Açores, é uma referência no conjunto dos rastreios realizados na Região pelas taxas de participação e pela deteção precoce da doença oncológica.

Segundo dados avançados pelo Secretário Regional da Saúde, já foram rastreadas 112 mil mulheres com idades compreendidas entre os 44 e os 74 anos, com uma taxa de participação que tem vindo a crescer de ano para ano.

O Rastreio Organizado de Cancro de Mama é destinado a mulheres que não apresentam sintomas e consta da realização de um exame radiológico gratuito, de dois em dois anos.

Neste programa são empenhados sete médicos radiologistas, seis técnicos de diagnóstico e terapêutica e duas unidades moveis de rastreio, que, de acordo com os resultados, encaminham as utentes para tratamento e acompanhamento nos hospitais da Região.

Rui Luís salientou as vantagens da deteção precoce do cancro da mama que, por consequência, fazem aumentar as taxas de sobrevivência.

O Secretário Regional referiu ainda que há outros rastreios com implementação mais recente, como o Programa de Intervenção no Cancro da Cavidade Oral ou o Rastreio Organizado de Cancro do Colon e Reto, que ainda não atingiram este nível de adesão, mas que a continuidade no tempo irá trazer resultados idênticos.

DL/Gacs

Categorias: Saude

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*