Mais de 2 mil pessoas já passaram pela Matriz de Lagoa para ver a “Coleção Visitável”

A Coleção Visitável da Matriz de Lagoa assinalou o seu primeiro aniversário. Inaugurada a 8 de maio de 2017, um ano depois, foram cerca de 2 mil os visitantes que passaram por esta exposição, oriundos dos Açores, Portugal Continental e estrangeiro.

O Pe Nuno Maiato, ao Jornal Diário da Lagoa, fez um balanço bastante positivo, com boas reações por parte dos visitantes.

Segundo adiantou, tendo em conta o número de visitas registado e as opiniões de quem tem visitado esta exposição, fazem com que o primeiro objetivo do projeto esteja alcançado e faça com que este prossiga. “É uma aposta ganha por parte da paróquia”.

Quantos aos visitantes, segundo o Pe. Nuno Maiato estes derivam de várias nacionalidades, quer sejam locais ou estrangeiros, de Portugal Continental ou Madeira, uns ocorrem por acaso, estão de visita à Lagoa e acabam por descobrir a coleção, outros já vão de propósito. “Uma dversidade de visitantes que deixa satisfação”.

O pároco de Santa Cruz recorda que esta coleção está no seu início, sendo que há muito a fazer e a melhorar, mas há também a necessidade de mais apoios para enriquecer esta coleção.

“Neste primeiro ano foi possível, com poucos recursos, manter a porta aberta de terça a sábado, ter sempre alguém para fazer a visita guiada, mas de facto, se há um aspeto negativo, é a falta de algum apoio, patrocínio ou mecenato, para que se possa melhorar ou suavizar as despensas mensais por ter a porta aberta”, recordou.

Ao Jornal Diário da Lagoa, o Pe. Nuno Maiato destacou o facto de os visitantes serem oriundos de várias crenças e religiões e alguns deles, mesmo sem qualquer vivência espiritual e de fé, descobrem nesta exposição uma expressão de um povo, da inculturação do cristianismo nas ilhas que interessa a todos os que querem perceber melhor o povo açoriano.

“É verdade que aqui falasse de uma paróquia, mas a partir deste património, pode-se fazer uma leitura da religiosidade e da cultura deste povo e destas ilhas. Por isso é que tem tido, mesmo dos não crentes que nos visitam, uma boa aceitação do que está exposto e da forma como a coleção está exposta”, realçou.

Para assinalar este aniversário, a Paróquia de Santa Cruz de Lagoa, promoveu um espetáculo inédito com a atuação dos grupos “FigoMaduro” e “Mãos que Cantam”. A presença de ambos os grupos aconteceu pela primeira vez nos Açores.

DL

Categorias: Cultura, Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*