“Germinações” reforça laços entre Lagoa dos Açores e Algarve

O Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz apresentou, no Algarve, o seu segundo trabalho discográfico, no âmbito da deslocação até Lagoa, para participar na recriação das Festas do Espírito Santo naquela cidade algarvia. O evento teve lugar no Auditório Carlos do Carmo, e contou com casa cheia.

Mais de trezentas pessoas assistiram à apresentação do CD “Germinações”, um trabalho discográfico do Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz e do Grupo de Cantares Fonte Nova, e que surge num formato diferente, ou seja, um álbum repartido entre ambos os grupos, e também como fora de assinalar os dez anos de geminação entre as duas cidades.

“Germinações” contém dez temas musicais, cinco de cada um dos grupos, e que traduzem o cancioneiro de ambas as culturas. Um trabalho que surge numa altura em que o Grupo Fonte Nova (Algarve) assinala os seus 30 anos de existência, contando o Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz (Açores) 22 anos de existência.

Em declarações ao Jornal Diário da Lagoa, Fernando Jorge Moniz, presidente do Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz, destacou o facto da deslocação, este ano, ao Algarve, ter sido diferente, para além da participação da recriação das Festas do Espírito Santo, serviu igualmente para a apresentação do CD.

Segundo adiantou, tratou-se do concretizar de um sonho de há já algum tempo, em concreto do lançamento de um segundo CD, e fazê-lo agora em conjunto com um grupo de Lagoa, Algarve, acaba por fortificar os laços existentes entre os dois concelhos, Lagoa Açores e Algarve. “São laços que ficam mais vincados e reforçam a importância, sendo este também um trabalho que acaba por ser institucional, que contou com o apoio de ambos os municípios”.

Fernando Jorge Moniz diz que com os apoios de ambos, fica fortalecida a união e a geminação existente, abrindo igualmente novos horizontes.

“Não só o Grupo de Cantares de Santa Cruz beneficia desta geminação”, destacou Fernando Jorge Moniz, recordando que, recentemente, em Lagoa (Algarve) esteve a equipa de veteranos do Clube Operário Desportivo, assim como este mês de junho, estará uma equipa de sub12, do mesmo clube, a participar num torneio. “Assim como nós, outras instituições de Lagoa dos Açores poderão beneficiar com esta geminação”.

Por seu turno, Paulo Pinto, do Grupo Cantares Fonte Nova (Algarve), grupo que a 10 de junho comemora o seu 30º aniversário, destaca a importância deste trabalho discográfico, que acaba por promover a partilha e troca de informação musical, assim como da cultura.

Em 2008 gravaram o seu primeiro CD e em 2017 quando estiveram nos Açores surgiu esta possibilidade de gravar um novo trabalho, desafio que foi aceite.

Sobre os temas escolhidos pra este CD, Paulo Pinto recorda que o cancioneiro Algarvio não é, ao contrário de outros, tão rico.

Segundo recordou ao nosso jornal, não foram precisas muitas escolhas trabalharam as letras das músicas, dando também um cunho pessoal à própria música.

“Colocamos música que, não sendo propriamente tradicional, mas é do folclore algarvio, o corridinho, e transformamos esse corridinho em fusão com uma valsa, que outrora foi tocado por alguns ranchos, ficando assim uma marca dos Fonte Nova”.

Paulo Pinto é de acordo de que, com este trabalho, tudo é possível no futuro, não só no domínio musical, mas também noutras áreas, valorizando assim a própria geminação entre as duas cidades de Lagoa.

O responsável não esqueceu o apoio dado por Fernando Guerreiro no Algarve, e Pedro Cimbron nos Açores, que apoiaram e ajudaram nesta gravação, colocando à disposição assim um trabalho discográfico muito positivo e que fica para memória futura. Segundo Paulo Pinto, este trabalho serve também para outros, nomeadamente os mais novos, para que possam continuar na cultivar a música popular portuguesa, que é bastante rica, e pode ser um incentivo. “A transmissão da cultura continua a fazer-se de boca em boca e a música serve também para isso”, disse.

De salientar que este trabalho discográfico será igualmente apresentado no concelho de Lagoa, nos Açores, este mês de junho.

Recorde-se que em abril de 2009, o Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz lançou o seu primeiro álbum discográfico, intitulada “Ilhas de Encanto”.

O Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz foi criado em 1996, tendo surgido por iniciativa conjunta de Clemente Cabral Raimundo, Maria da Conceição Ponte, Maria de Lurdes Ventura, Rosa Maria Borges e Durval Sousa Arruda, vindo a 14 de abril de 2000 a dar lugar à formalização do grupo, aquando da sua constituição como associação.

DL

Categorias: Cultura, Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*