Casa cheia na apresentação do CD “Germinações”

Casa cheia na apresentação do CD “Germinações”, um trabalho discográfico do Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz e do Grupo de Cantares Fonte Nova, evento que decorreu no Auditório Carlos do Carmo, em Lagoa, Algarve.

Este novo CD surge num formato diferente, ou seja, um álbum repartido entre ambos os grupos, e também como fora de assinalar os dez anos de geminação entre as duas cidades.

“Germinações” contém dez temas musicais, cinco de cada um dos grupos, e que traduzem o cancioneiro de ambas as culturas.

Um trabalho que surge numa altura em que o Grupo de Cantares Fonte Nova (Algarve) assinala os seus 30 anos de existência, contando o Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz (Açores) 22 anos de existência.

Falando na apresentação deste trabalho, a vereadora da Câmara Municipal de Lagoa (Açores), recordou que a oportunidade desta apresentação surge no âmbito da recriação das Festas do Divino Espírito Santo e da participação do Grupo de Cantares de Santa Cruz na mesma.

Albertina Oliveira recordou que a cultura continua a ser uma das componentes da politica local, sendo que a autarquia açoriana apoio e incentiva, “porque é na cultura que reside a promoção turística do concelho”.

Sobre este CD agora editado, a vereadora da autarquia açoriana destacou ser “uma apologia à musica popular e tradicional portuguesa que tem de ser preservada.

Segundo referiu, para as mais de três centenas de pessoas presentes no Auditório Carlos do Carmo, “estes grupos ampliam a historia de cada um dos municípios”, sendo que estes evoluíram e venceram desafios, como é o caso deste CD agora apresentado e que é o resultado da dedicação de quem compõe estes grupos.

Por seu turno, a vereadora responsável pelas geminações do Município de Lagoa (Algarve), considerou ser um este um evento que representa precisamente os laços de amizade existente entre as duas cidades. “Além do protocolo, existem laços efetivos entre Lagoa Açores e Lagoa Algarve”.

Sobre o trabalho agora apresentado, e como o próprio nome indica, Anabela Simão acredita “tudo o germina é bonito e este trabalho, apoiado por ambas as autarquias, há-de continuar”.

Anabela Simão recordou que os 10 anos de geminação, entre Açores e Algarve, vão muito além do protocolo assinado e dos eventos culturais, nomeadamente com “o laço de amizade e de irmandade existente entre ambas”.

De salientar que este trabalho discográfico será igualmente apresentado no concelho de Lagoa, nos Açores, no próximo mês de junho.

DL

Categorias: Cultura, Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*