Espaço Saúde: Pé diabético

O Pé Diabético é, por definição, a infeção, ulceração e/ou destruição de tecidos profundos associados com anormalidades neurológicas e vários graus de doença vascular periférica no membro inferior. O termo refere-se, então, ás diversas alterações e complicações que ocorrem nos membros inferiores e pés da pessoa com Diabetes. O pé diabético caracteriza-se pela presença de pelo menos uma das seguintes alterações: neurológicas, como falta de sensibilidade, ortopédicas como deformidades a nível dos ossos do pé, vasculares e infeciosas.

É uma das complicações crónicas mais incapacitantes da Diabetes causando consequências negativas a nível pessoal, social e económico para o doente, sua família e comunidade. O controlo da Diabetes e a prevenção de complicações associadas a esta doença, são fundamentais para prevenir a ocorrência de complicações.

A pessoa com Diabetes e/ou seus cuidadores devem manter-se informados sobre os cuidados a ter com os pés. Para isso devem recorrer ás consultas de Diabetologia, médicas e de enfermagem. Nestas consultas é efetuado o exame aos pés, no sentido de ser avaliado o grau de risco e respetiva prevenção de complicações.

Toda a pessoa com Diabetes deve ser submetida à inspeção do pé, em consulta médica ou de enfermagem, pelo menos uma vez por ano.

Nestas consultas o doente e/ou seus cuidadores são informados sobre como cuidar dos pés e em que situações devem procurar os serviços de saúde. Assim informa-se sobre a importância de manter um bom controlo da Diabetes com o cumprimento da dieta adequada, exercício físico, hábitos saudáveis e medicação prescrita para evitar o aparecimento de úlceras, lesões, infeções e necrose dos pés.

Os pés devem ser examinados diariamente no sentido de serem detetadas o mais precocemente situações como, bolhas, feridas, inchaço, rachaduras ou mudança na cor dos pés, e nestas situações o doente deverá recorrer ao serviço de saúde.

Os pés devem ser lavados com água morna e sabão neutro, devem ser bem secos, principalmente entre os dedos, mas sem esfregar. Cremes hidratantes devem ser aplicados, mas evitando os espaços entre os dedos.

É muito importante proceder-se ao corte das unhas corretamente. Em forma reta com instrumentos apropriados. As cutículas não devem ser retiradas pois servem de proteção contra entrada de bactérias. Não devem ser cortados calos nem aplicados calicidas, estas situações devem ser tratadas por profissionais de saúde.

O calçado deve ser adequado, confortável, cumprindo um conjunto de condições no sentido de evitar lesões nos pés. As meias devem ser de algodão, sem costuras ou elásticos apertados e de preferência de cor clara para ser mais fácil de detetar a presença de sangue ou exsudado. Antes de serem calçados os sapatos devem ser cuidadosamente inspecionados. Nunca deve andar descalço.

Estes são alguns dos conselhos que deve seguir, no entanto não dispensam a consulta médica e de enfermagem.

Previna!

 

Dr. João Martins de Sousa
Delegado de Saúde de Lagoa
(Artigo publicado na edição impressa de junho de 2018)

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*