Jovens têm nas mãos o “reencontro” da Macaronésia

O Secretário Regional da Educação e Cultura destacou, no Funchal, o “grande desafio” que enfrenta a atual geração, que é o de “retomar e incentivar” as ligações entre os arquipélagos da Macaronésia.

Avelino Meneses, que falava na sessão de encerramento do IV Encontro Juvenil do Atlântico – CriaPoesia, adiantou que essas ligações têm de ser estabelecidas na “base do respeito mútuo e na busca de uma via de desenvolvimento conjunto”.

O “reencontro” da Macaronésia, constituída pelos arquipélagos dos Açores, Madeira, Canárias e Cabo Verde, está nas “mãos dos jovens”, que dispõem, para tal, entre outros instrumentos de intervenção, da “cultura moldada sempre pela omnipresença do mar”, acrescentou Avelino Meneses.

Neste contexto, a poesia “é um dos maiores bens culturais, por ser a linguagem da liberdade que ancora o desenvolvimento da economia e a promoção da sociedade”, afirmou.

Para o Secretário Regional, que falava para uma plateia de jovens madeirenses, açorianos e cabo-verdianos, a poesia é “a linguagem da juventude” e, assim, “dos estudantes das nossas escolas”.

Ora, adiantou, nos Açores luta-se todos os dias pela “construção” de uma escola que seja “um meio de aprendizagem para todos” e “em permanente adaptação à mudança, que seja adequada à transformação da sociedade”.

Nesta quarta edição do CriaPOESIA, encontro que tem como objetivos a promoção do gosto pela poesia visual e pela leitura de poesia, bem como incentivar a produção escrita em Língua Portuguesa, participaram mais de 700 alunos das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores e, pela primeira vez, da República de Cabo Verde.

Dos Açores participaram alunos de 10 escolas, nomeadamente do Colégio do Castanheiro, das escolas básicas e secundárias de Santa Maria, Calheta, Madalena e Vila Franca do Campo, da Escola Profissional Monsenhor de João Maurício de Amaral Ferreira, e das secundárias da Ribeira Grande, Laranjeiras, Domingos Rebelo e Jerónimo Emiliano de Andrade.

DL/Gacs

Categorias: Educação

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*