António Ventura defende tourada à corda como património imaterial da UNESCO

O deputado do PSD/Açores na Assembleia da República, António Ventura, reafirmou a importância da tourada à corda, defendendo o registo daquela tradição popular como Património Imaterial da UNESCO.

O social democrata lembrou que dia 1 de maio  teve início a época das tradicionais touradas à corda nos Açores, com predominância na Ilha Terceira, na Graciosa e em São Jorge, e que acontecem até 15 de outubro.

Segundo António Ventura, a tradição da tourada à corda está patente “na origem dos usos e costumes, nas expressões linguísticas, na história, nas festas locais, nas lendas e narrativas, no nosso quotidiano social”, afiança.

Conforme diz, “a tourada à corda representa um cartaz de promoção e valorização da Ilha Terceira e dos Açores, cujo reconhecimento tem sido várias vezes manifestado fora da Região”.

António Ventura recorda que a tourada à corda, “enquanto atividade que utiliza animais, está regulamentada perante as mais recentes exigências de bem-estar e proteção animal, pelo que importa repudiar populismos e demagogias, que por vezes atentam contra a tourada à corda”.

Assim, e enquanto deputado na Assembleia da República, o social democrata afirma “a importância cultural, histórica, turística, social e económica da tourada à corda nos Açores, em especial, nas Ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge. Que pode e deve ser reconhecidas pela UNESCO”, conclui.

DL/PSD

Categorias: Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*