Vasco Cordeiro destaca a “fibra e a têmpera” dos Açorianos que partiram para Santa Catarina há 270 anos

O Presidente do Governo afirmou que é um “sentimento avassalador” pensar o que foi, há 270 anos, a dimensão da gesta da emigração açoriana para Santa Catarina, o que “diz muito da fibra e da têmpera” dos Açorianos que partiram para este Estado brasileiro.

Vasco Cordeiro falava num encontro com a comunidade açoriana e açor-descendente de Santa Catarina, no final do segundo dia da visita oficial a convite do Governador do Estado, Eduardo Pinho Moreira, que incluiu a inauguração de painel exterior de azulejos alusivo aos 270 anos da presença açoriana em Santa Catarina.

Neste encontro, o último ponto da visita a Santa Catarina, o Presidente do Governo adiantou ainda que, a partir desta visita oficial, “há um outro sentido para a expressão ‘Açorianos de coração’, que são aqueles que não nasceram nos Açores e não vivem nos Açores e, em alguns casos, nunca visitaram os Açores, mas sentem a Açorianidade de uma forma muita intensa. Os Açorianos de Santa Catarina”.

Além do encontro com a comunidade açoriana e açor-descendente, o Presidente do Governo visitou a Irmandade do Divino Espírito Santo de Santa Catarina, o Ecomuseu do Ribeirão da Ilha e o Núcleo de Estudos Açorianos, fundado em 1984 e que está sediado na Universidade Federal de Santa Catarina.

A deslocação oficial incluirá ainda as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, onde o Presidente do Governo manterá encontros com as comunidades açorianas nestas cidades e presidirá ao lançamento do livro ‘Uma Página sobre Vitorino Nemésio’, que vai decorrer na Casa dos Açores do Rio de Janeiro.

DL/Gacs

Categorias: Comunidades

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*