Vasco Cordeiro defende que relação entre Açores e Santa Catarina pode ser alargada a áreas como a Ciência e Investigação

O Presidente do Governo defendeu, em Florianópolis, no Brasil, o alargamento do relacionamento entre os Açores e o Estado de Santa Catarina a novas áreas como a ciência e a investigação, respondendo, por esta via, ao desafio de reforçar a ligação bilateral já existente ao nível histórico, cultural e de preservação da identidade açoriana.

Vasco Cordeiro falava na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, no primeiro dia da visita oficial que está a realizar a convite do Governador deste Estado, Eduardo Pinho Moreira.

Recorde-se que, por decisão da Assembleia de Santa Catarina, 2018 foi designado como o Ano dos Açores em Santa Catarina, onde, entre 1748 e 1754, desembarcaram os primeiros emigrantes açorianos.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro salientou que o Atlântico permanece um espaço central nas considerações geoestratégicas nacionais e internacionais em dimensões como a ciência e a investigação, o comércio internacional, a logística e a circulação aérea e marítima, a defesa, a proteção contra a criminalidade transnacional e a preservação ambiental e de recursos.

Neste contexto, os Açores concretizam uma vantagem estratégica óbvia, a começar pela dimensão da sua área de Zona Económica Exclusiva, com cerca de um milhão de quilómetros quadrados, a maior da União Europeia, e que alarga as fronteiras da Europa até próximo do continente americano, recordou o Presidente do Governo.

O Presidente do Governo apontou, ainda, o exemplo da constituição do Centro de Defesa do Atlântico (CeDA), com sede nos Açores, que representa também um desenvolvimento relevante, não apenas em função da posição histórica de Portugal, mas também enquanto ator internacional capaz de agregar parcerias no domínio da defesa, com o intuito de servir objetivos comuns no âmbito das organizações internacionais de que faz parte, com natural destaque para a NATO.

Na sua intervenção perante os deputados do Estado de Santa Catarina, o Presidente do Governo fez questão de abordar uma visão de futuro sobre as relações de “afinidade histórica e cultural entre os Açores e o Estado de Santa Catarina”.

Segundo disse, este sentido do trajeto que tem sido feito é essencial para que se possa enquadrar devidamente “onde nos posicionamos, o que nos espera e o que nós próprios esperamos do futuro”.

A convite de Vasco Cordeiro, a comitiva açoriana integra os Presidentes das Câmaras Municipais de Ponta Delgada, Angra do Heroísmo e Praia da Vitória, cidades irmãs de Florianópolis, capital do Estado de Santa Catarina, assim como os deputados à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, pertencentes à Comissão de Política Geral, José San-Bento (PS), António Soares Marinho (PSD) e Alonso Miguel (CDS/PP).

DL/Gacs

Categorias: Comunidades, Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*