Governo dos Açores pretende introduzir discriminações positivas nos apoios aos investimentos na agricultura biológica

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas anunciou a intenção de introduzir discriminações positivas nos apoios referentes aos investimentos feitos ao nível da agricultura biológica no próximo programa de desenvolvimento rural, no âmbito da futura Política Agrícola Comum (PAC) pós 2020.

João Ponte, que falava na sessão pública de apresentação da proposta de estratégia para a agricultura biológica nos Açores e do plano de ação para a produção e promoção de produtos agrícolas biológicos, adiantou também que pretende introduzir no próximo programa de desenvolvimento rural melhorias nos apoios já existentes à manutenção da agricultura biológica, que devem estar preferencialmente associados à efetiva comercialização de produtos biológicos.

Além dos benefícios ambientais, o Secretário Regional destacou que a agricultura biológica possibilita uma alimentação mais saudável e sustentável, bem como “uma estimulante oportunidade de negócio, pois este tipo de produção é mais valorizado no mercado”.

Além das produções hortícolas e frutícolas, começam a surgir nas ilhas de São Miguel, Terceira, São Jorge e Faial vários outros projetos de investimento estruturado de produção em modo biológico, nomeadamente ao nível do leite e da carne.

Paralelamente, os Serviços de Desenvolvimento Agrários das várias ilhas têm vindo a promover protocolos de colaboração com diversas entidades, como escolas, e formação com vista ao desenvolvimento deste setor.

A expansão das áreas dedicadas à agricultura biológica, o aumento da produção, da oferta agrícola e agroalimentar com origem na produção biológica, o reforço do conhecimento técnico-científico e das competências sobre a produção, assim como garantir o crescimento sustentável e reforçar a confiança dos consumidores nos produtos biológicos são algumas das propostas que constam do documento agora apresentado publicamente, elaborado por um grupo de trabalho coordenado por David Horta Lopes, da Universidade dos Açores.

Nesse sentido, o documento está disponível para consulta pública no Portal do Governo (www.azores.gov.pt) durante 60 dias, podendo os interessados enviar comentários e contributos através do email info.sraf@azores.gov.pt.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*