Lagoa vai passar a dispor de dois novos equipamentos sociais

O concelho de Lagoa vai passar a dispor de dois novos equipamentos sociais, nomeadamente um Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) e um Lar Residencial, cujos projetos foram apresentados, esta quarta-feira, dia 11 de abril, na igreja do Convento dos Franciscanos, numa cerimónia que contou com a presença do Presidente do Governo Regional dos Açores e que aconteceu em dia de feriado municipal.

O CAO e o Lar Residencial para pessoas com deficiência são projetos que estão sob gestão da Santa Casa da Misericórdia de Santo António de Lagoa.

Esta será uma obra que se materializará na reabilitação e adaptação de um edifício existente na Quinta da Quintã, na freguesia de Santa Cruz, que depois de requalificado irá dar lugar a duas valências, designadamente o Centro de Atividades Ocupacionais e um Lar Residencial, com uma capacidade para 30 e 18 utentes, respetivamente.

Falando na apresentação do projeto, a Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Santo António adiantou que esta intensão já era um desejo de há muito. “Estes são projetos de carater prioritário e que visam auxiliar os cidadãos, pessoas plenas de direitos, e cuja diferença não retira direitos”.

Cristina Calisto recordou a data da fundação da Misericórdia, 12 de janeiro de 2001, sendo que, em relação ao CAO, trata-se de um projeto que consta desde o primeiro plano de atividades desta IPSS.

“A Santa Casa tem estado atenta às necessidades e problemas dos lagoenses, sobretudo das crianças, dos idosos e dos mais carenciados, através dos serviços que presta diariamente nas suas valências”, recordou.

Segundo a Provedora, “nestes 17 anos, o lar de jovens já acolheu 70 jovens, no centro de convivo em Santa Cruz e Água de Pau, já foram acolhidos cerca de 100 idosos, o ATL em Santa Cruz já acolheu 98 crianças, o lar de idosos, aberto desde 2008, já contou com total de 81 residentes. A unidade de cuidados continuados do lar conta com 8 utentes, o banco alimentar abrangeu 309 famílias, correspondentes a 1200 pessoas e a loja solidaria serve 300 famílias, o equivalente a 1550 pessoas”.

Cristina Calisto, Provedora da Misericórdia da Lagoa há seis anos, diz que tem sido um desafio enriquecedor.

Falando igualmente na apresentação dos projetos, o Presidente do Governo dos Açores salientou que o objetivo do investimento do executivo em infraestruturas deste género passa por, a partir destes equipamentos sociais, criar as condições para que os seus utentes “sejam cidadãos açorianos de pleno direito, no fundo, para a sua integração plena na sociedade”.

Trata-se de um investimento de cerca de três milhões de euros, onde será criada meia centena de vagas, das quais 30 no âmbito do Centro de Atividades Ocupacionais e 18 no Lar Residencial, colmatando a carência que existia no concelho nestas valências.

Vasco Cordeiro frisou que o Centro de Atividades Ocupacionais e o Lar Residencial, que serão construídos na Lagoa, inserem-se numa política que se estende a todas as ilhas dos Açores de reforço e de requalificação de infraestruturas desta natureza, a qual permitiu que, em 2017, fossem apoiados cerca de 800 Açorianos.

O governante adiantou ainda que estas intervenções são mais um passo para garantir que até 2020, haja uma capacidade instalada que se adeque há necessidade existente, que passa por criar ou requalificar cerca de 250 vagas.

Os projetos em causa já deram entrada na Câmara Municipal de Lagoa para o devido licenciamento.

DL

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*