BE questiona Governo da República sobre problemas no serviço dos CTT nos Açores

O Bloco de Esquerda, em nota enviada à redações, diz que tem recebido inúmeras denúncias sobre extravios e atrasos de encomendas nos Açores, da responsabilidade dos CTT, e pergunta ao Governo da República se não considera que esta situação “viola as obrigações de serviço público a que os CTT estão obrigados”.

Num documento enviado ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas, os deputados do BE na Assembleia da República, Heitor de Sousa e Paulino Ascensão, revela situações de atrasos de “cartas relativas a pagamentos com data limite e cujo atraso se concretiza no pagamento de coimas e juros”, e situações relativas a atrasos no recebimento de “vales de reforma, que acentuam graves carências económicas a quem depende absolutamente desse recebimento para a sua sobrevivência”.

Perante estas situações, o Bloco de Esquerda quer saber que medidas irá tomar o Governo da República para garantir o normal funcionamento do serviço postal nos Açores, e se o Governo está disponível para disponibilizar os indicadores de distribuição postal na Região.

O BE salienta que a privatização dos CTT, concluída em 2013, tem vindo a comprometer o cumprimento das obrigações de serviço público, com efeitos notórios na degradação do serviço postal existente. Em detrimento de maior investimento no serviço público, os novos acionistas privados não se coíbem de descapitalizar a empresa para repartir lucros entre si bastante acima dos lucros obtidos, ao mesmo tempo que promovem despedimentos, encerramento de balcões e uma degradação geral no serviço postal.

Sublinhe-se que os atrasos e extravios que ocorrem nas correspondências de e para os Açores foram já diversas vezes reportados ao Governo, sem que, no entanto, as situações tenham sido resolvidas.

DL/BE

Categorias: Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*