Instituto Cultural Padre João José Tavares comemora 10º aniversário

O Instituto Cultural Padre João José Tavares acaba de assinalar dez anos após a sua criação. Por forma a assinalar a data, e ao mesmo tempo homenagear o patrono desta instituição lagoense, foi depositada uma grinalda de flores junto ao busto do Padre João José Tavares, localizado junto à Igreja Matriz de Santa Cruz.

Foi a 7 de abril de 2008 que, por escritura pública, foi constituído o Instituto Cultural Padre João José Tavares.

O patrono deste Instituto Cultural nasceu a 13 de setembro de 1862, na Rua do Vigário, no seio de uma família numerosa, João José tinha nove irmãos, ao todo seis rapazes e quatro raparigas.

Frequentou o liceu de Ponta Delgada até aos 18 anos, frequentando depois o Seminário de Angra, depois de ordenado, trabalho nos Remédios da Bretanha, sendo pouco tempo depois nomeado Vigário da Igreja Matriz de Lagoa, onde paroquiou durante 45 anos.

Era dotado de uma cultura vasta, com um particular gosto, talvez por influência familiar, pela área musical, com o seu irmão Manuel José, fundaram a Sociedade Filarmónica Estrela D’Alva, ainda em atividade na freguesia de Santa Cruz, e da qual foi o seu 1º Presidente.

O Padre João José Tavares foi também um grande apaixonado pela História dos Açores e muito particularmente pela História da Lagoa.

Fruto desse trabalho deixou um livro de legado, “A Vila da Lagoa”, cujo lançamento já não assistiu e que é uma obra de leitura obrigatória para quem quiser conhecer melhor a história da Lagoa.

Pelo seu trabalho, pelas suas pesquisas e pelo seu legado, é considerado um dos mais importantes historiadores Micaelenses. Faleceu em Santa Cruz, a 28 de fevereiro de 1933.

Rui Câmara, presidente do Instituto Cultural Padre João José Tavares, reforça disse, ao Jornal Diário da Lagoa, esperar que as gerações vindouras possam tirar proveito do trabalho que é realizado por esta instituição, pelos seus membros.

O instituto tem mais de três dezenas de realizados nestes últimos dez anos de existência, sendo desenvolvido principalmente muito trabalho de pesquisa. “Somos muito solicitados sobre vários assuntos e acabamos por ‘queimar a pestana’ para que para possam ser dadas informações o mais corretas possíveis”.

Segundo Rui Câmara, “neste momento estamos a trabalhar naquela que será a revista do instituto, que deverá ser lançada ainda este ano, com trabalhos de vários membros desta instituição”.

Diz o Presidente do presidente do Instituto Cultural Padre João José Tavares que esta é uma forma de atualizar um pouco e aos poucos a história da Lagoa.

“Pouco se tem escrito sobre a história da Lagoa e dai a necessidade desta atualização, é preciso estar todos dias a escrever e a registar para deixar para as gerações vindouras”.

DL

Categorias: Cultura, Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*