Casa da Cultura Carlos César da Lagoa acolhe sessão de Educação Política e para a Cidadania

Decorreu no passado dia 20 de março, mais uma Sessão de Educação Política e para a Cidadania promovida pela área da Cultura do Município de Lagoa, em parceria com a Escola Secundária do concelho. Esta sessão contou com a presença do Instituto Cultural Padre João José Tavares tendo sido abordada a temática da “Cidadania e Associativismo- o Instituto Cultural Padre João José Tavares “.

Nesta oitava de um conjunto de dez sessões, Rui Câmara, presidente e José Wellington do Nascimento, Vogal, deste Instituto, falaram para um público de 35 alunos de duas turmas do curso de animação sociocultural daquela escola.

Rui Câmara, no início da sua intervenção, percorreu a história do instituto elencando o importante trabalho que esta instituição tem vindo a desenvolver através de inúmeras atividades, com a função de colmatar uma lacuna existente na área cultural do concelho. O instituto foi fundado a 7 de abril de 2008, fazendo este ano 10 anos de existência, este surgiu por uma conjugação de esforços de um grupo de lagoenses. O instituto tem como seu objetivo a divulgação cultural nas suas diversas áreas de intervenção, bem como a realização de eventos de essência cultural, nomeadamente, exposições, concertos musicais, publicações de livros, entre outros.

O instituto ao qual foi atribuído o nome de Padre João José Tavares, em homenagem a uma individualidade lagoense. O padre João José Tavares tinha 12 irmãos que se evidenciaram na área musical, fundando a Filarmónica Estrela D’Alva de Santa Cruz, este padre lagoense, contribuiu em muito para o registo e divulgação da história do concelho, escrevendo um livro sobre a vida da lagoa o qual contém muitos pormenores da vivência deste povo.

Por seu turno, José Wellington do Nascimento, explicou que “ que o passado serve para lembrar-nos dos nossos erros e corrigirmos”, assim podemos ter um mundo melhor, para a minha velhice e para os nossos filhos, pois temos de pensar e sentir pelo outro, começando pelos que estão mais próximos de nós e com pequenos atos. Praticar o civismo é lutar em prol da “sua rua” e quantos mais pessoas se unirem com um objetivo comum mais força, voz terão.

O palestrante terminou com a seguinte mensagem para os alunos refletirem “ Os laços que temos hoje define o nosso futuro na sociedade”.

DL

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*