AJAM pede à Insulac para reconsiderar descida do preço do leite pago à produção

A Associação de Jovens Agricultores Micaelenses (AJAM) tornou pública a sua contestação face à baixa de 1 cêntimo no preço do leite pago à produção.

A AJAM considera que esta tomada de decisão é no mínimo incompreensível até porque, a Indústria em questão, é a que tem tido o preço mais baixo pago à produção.

Face a isso, a direção da AJAM já enviou uma carta à administração da Insulac, solicitando a reconsideração desta descida, “pela saúde da produção leiteira micaelense, demonstrando assim uma consciência social e respeito pelo trabalho dos seus produtores”.

Na missiva, a AJAM recorda que “num contexto de situação de mercados favorável e estável, não compreendemos essa decisão, uma vez que a Insulac tem sido a indústria que pratica o preço mais baixo à produção, tendo também, apresentado resultados muito positivos”.

A AJAM alerta ainda para o facto de essa decisão colocar em dificuldades muitos produtores que ainda não conseguiram sair de uma situação de asfixia financeira, devido como sabe a toda a conjuntura que se vive no pós Quotas Leiteiras”.

Para a AJAM, esta situação só vem asfixiar mais os produtores daquela Indústria e em especial os jovens agricultores que, numa fase de arranque da sua atividade, vêem-se numa situação mais complicada devido aos investimentos que tiveram de fazer para se instalarem.

DL/AJAM

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*