Primeiros ranchos de Romeiros saem no próximo dia 17 de fevereiro

As romarias quaresmais de São Miguel, que já se realizam também nas ilhas Terceira e Graciosa, este ano saem para a estrada a partir do próximo dia 17 de fevereiro e terminará dia 28 de março.

Ao todo serão 52 ranchos, dois deles provenientes da diáspora, que de manhã à noite percorrerão as estradas de São Miguel, sempre junto ao mar, parando em todas as igrejas e capelas da ilha.

No pensamento, os romeiros levam as intensões do Bispo de Angra e Ilhas dos Açores.

Dom João Lavrador pede aos romeiros que orem durante a sua romaria quaresmal pela santificação dos sacerdotes da nossa diocese; pelas vocações sacerdotais, consagradas, religiosas e missionárias; pelas famílias da nossa diocese; pelos jovens para que descubram a Jesus Cristo e O sigam.

O Bispo pede ainda oração pelos leigos empenhados na evangelização da nossa diocese; pelos pobres e excluídos da nossa diocese; pelos que vivem sem trabalho e sem dignidade; pelos idosos e doentes que vivem na solidão; pelas intenções do Santo Padre e do Bispo da nossa diocese e pelas crianças e adolescentes da catequese e seus catequistas para que sintam a alegria de conhecer, amar e seguir a Jesus Cristo.

As tradicionaisromarias de São Miguel assumem “uma dimensão comunitária” e “tocam” centenas
de pessoas que se unem em várias freguesias da maior ilha açoriana para disponibilizar meios para a pernoita e a alimentação dos romeiros.

Estes romeiros percorrem quilómetros e quilómetros a pé durante uma semana, trajando um xaile, lenço, saco para alimentos, bordão e terço, entoando cânticos e rezando.

As romarias quaresmais de São Miguel, segundo a tradição, tiveram origem na sequência de terramotos e erupções vulcânicas ocorridas no século XVI na ilha, que arrasaram Vila Franca do Campo e causaram grande destruição na Ribeira Grande.

Os ranchos são organizados e devem cumprir um percurso, sempre com mar pela esquerda, passando pelo maior número possível de igrejas e ermidas de S. Miguel.

DL

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*