Lagoense pretende chegar ao campeonato internacional de dardos

Radikal Darts é uma nova modalidade desportiva que já envolve cerca de 700 pessoas nos Açores, distribuídos pelas ilhas de São Miguel, Santa Maria e Terceira.

Na Lagoa são cerca de duas dezenas os praticantes dos cerca de 150 existentes na ilha de São Miguel, pelo menos registados, uma vez que existem muitos outros que não estão registados.

Segundo Filipe Rodrigues, coordenador das Ligas Radikal Dards nos Açores, esta é já uma modalidade conhecida um pouco por toda a ilha. Na Lagoa são já dois os espaços comerciais que tem máquina para estes jogos.

Refira-se que a Radikal Darts é uma máquina de dardos eletrónica online que inclui câmaras, lasers e sensores que permitem monitorizar o jogo e os jogadores. Radikal Darts envia para um servidor as informações de forma contínua e automática, através do sistema de arbitragem remoto.

Em termos competitivos são realizadas algumas provas, como o caso do Campeonato Regional que decorreu recentemente, com a participação de mais de duas dezenas de equipas inscritas. À parte disso, segundo adiantou ao Jornal Diário da Lagoa Filipe Rodrigues, durante uma época desportiva são disputados vários apuramentos e realizadas várias provas a nível nacional.

A participação nos nacionais implica que este tipo de provas sejam feitas numa primeira fase a nível online, comas equipas locais a defrontar equipas do continente ou até mesmo outros países, sendo que, numa segunda fase, já o façam de forma presencial, como foi o caso da participação açoriana, em dezembro último, no Campeonato Nacional realizado no Algarve.

Uma das participações foi do lagoense Manuel Oliveira, que foi apurado na modalidade e pares a disputar a fase nacional com Bruno Batista.

Atualmente encontra-se a disputar o apuramento para Campeonato Internacional que vai realizar-se em Vigo, Espanha, no próximo mês de abril. Para esta prova, na tabela geral, em individuais, são apurados os primeiros 25 a nível nacional.

À nossa reportagem, Manuel Oliveira recorda que já pratica a modalidade há cerca de dois anos, sendo um desporto que gosta e pretende continuar, sendo que de campeonato em campeonato vai criando novas amizades.

Destaca que as deslocações ao exterior têm sido possível graças aos patrocinadores e só assim é possível a participação.

O coordenador das Ligas Radikal Dards nos Açores, recorda que, para além das provas oficiais, existem outro tipo de torneios e eventos que vão-se realizando um pouco por toda a ilha.

DL

Categorias: Desporto, Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*