Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz prepara novo CD

O Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz comemorou, a 26 de dezembro, o seu 21º aniversário, com a realização de um concerto a ter lugar na Igreja do Convento dos Franciscanos, em Santa Cruz, Cidade de Lagoa.

Do programa constou a atuação da Filarmónica Estrela D’Alva e uma Cantata de Natal pelo grupo aniversariante, com a colaboração do Agrupamento de Escuteiros 1290 de Santa Cruz.

Tratou-se de mais um aniversário, importante como todos os restantes, como adiantou Fernando Jorge Moniz, presidente deste grupo.

“Cada ano que vai passando é sempre mais importante, porque é mais um ano que o grupo se mantém, cada ano é uma luta, porque não é fácil manter estes grupos”, recorda.

Fernando Jorge Moniz diz que tem sido um percurso engraçado. “O grupo foi constituído na primeira oitava da festa de Natal, quando algumas pessoas se juntaram para cantar em casa de alguns amigos, e assim surgi-mos. Desde ai temos atuado em vários locais, em vários locais do continente e ilhas dos Açores, no Algarve, nomeadamente em Lagoa, onde recriamos a festa do Espírito Santo, o que iremos repetir este ano”.

Em abril de 2009 lançou o seu primeiro álbum discográfico, intitulada “Ilhas de Encanto”, estando a preparar o seu segundo trabalho, a ser apresentado também em maio próximo.

“Trata-se de um interessante do qual farão parte dois grupos. O CD terá numa face o Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz e na outra face o Grupo de cantares Fonte Nova de Lagoa, Algarve” destaca Fernando Jorge, reforçando ser “uma amizade que nos une e na qual foi feita esta aposta”.

Quanto ao aniversário, cada ano que passa há sempre inovações. “Este ano tivemos a atuação da Banda Filarmónica Estrela D’Alva e do Agrupamento Escuteiros 1290 de Santa Cruz”.

Fernando Jorge Moniz adiantou que este ano com foi dada a oportunidade ao Agrupamento de Escuteiros 1290, surgem assim novos grupos, novas pessoas nesta comemoração.

“É preciso dar oportunidade aos grupos existentes para se apresentarem ao público porque é para isso que todos trabalham e ensaiam”.

O Grupo de Cantares é constituído por pessoas de várias idades, o que por vezes não é fácil juntá-los, pela diversidade de pensamento, é preciso calma e traquejo para gerir o grupo, recorda.

Fernando Jorge Moniz recorda que trata-se de um grupo muito amigos, que se juntam de vez em quando para fazer algumas festas e as saídas dos Açores, o que também incentiva e dá um estímulo ao trabalho. “Estarmos juntos fora da região, reforça assim a própria união e amizade entre todos”, recorda.

Na Cantata de Natal, integrada nas comemorações do 21º aniversário, participou um elemento especial, a presidente da Câmara Municipal de Lagoa.

A sua participação decorre da descoberta do gosto por cantar, e o grupo acolhe em algumas atuações “Gosto de cantar e juntar-me ao grupo sinto-me como se deste fizesse parte, é uma família”, destaca.

Por outro lado, falando ao Jornal Diário da Lagoa, à margem das comemorações, Cristina Calisto recorda que a autarquia trabalha em todas as frentes, não vocaciona a sua atuação num só aspeto, querendo atingir determinados objetivos, mas toda a atividade paralela tem de se manter.

A autarca fala em grandes sonhos em termos culturais par a Lagoa. “Temos uma brilhante equipa na área da cultura, temos um conjunto de projetos muito interessante para a promoção cultural da Lagoa, tenho a certeza que vamos ter os próximos quatro anos com grandes momentos em termos culturais, é uma questão de tempo, e os lagoenses vão perceber que faz todo o sentido da nossa aposta”.

A autarca reforça que na cultura existe um dos elementos principais na promoção turística do concelho e “independentemente de querermos dar passos na aérea tecnológica, científica e na educação, na cultura não podemos esquecer o que nos identifica e é nesse trabalho que a autarquia vai insistir devolvendo à Lagoa esta referência cultural”.

Recorde-se que o Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz foi criado em 1996, tendo surgido por iniciativa conjunta de Clemente Cabral Raimundo, Maria da Conceição Ponte, Maria de Lurdes Ventura, Rosa Maria Borges e Durval Sousa Arruda, vindo a 14 de abril de 2000 a dar lugar à formalização do grupo, aquando da sua constituição como associação.
No seu historial, este grupo conta várias digressões.

Em abril de 2009, o Grupo de Cantares Tradicionais de Santa Cruz foi condecorado pela Câmara Municipal de Lagoa, com a medalha de mérito, tendo ainda lançado o seu primeiro álbum discográfico, intitulado “Ilhas de Encanto”, a 30 de maio, numa cerimónia que decorreu no Cine Teatro Lagoense.

Este grupo desde a sua existência sempre participou em diversos concertos de natureza variada, com um reportório adequado à especificidade do serviço em si.

DL

Categorias: Cultura, Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*