Polícia Judiciária fez buscas na Câmara da Lagoa

A Polícia Judiciária realizou, recentemente, buscas na Câmara Municipal de Lagoa. Em causa está a Operação Asclépio, referente a suspeitas de corrupção no Sistema Regional de Saúde, tal como confirmou a própria a presidente da edilidade à rádio pública regional.

Segundo recorda esta notícia da Antena 1 Açores, no âmbito desta Operação, o conhecido médico Paulo Margato, foi constituído arguido. 

A ligação deste à Câmara da Lagoa data pelo menos de 2009, altura em que o anterior autarca celebrou o primeiro ajuste direto com o médico Paulo Margato no valor de 28 mil euros, para consultas a utentes sem médico de família, recorda a Antena 1 Açores.

Mas à rádio pública, a presidente da Autarquia, Cristina Calisto, esclareceu que não estão em causa os contratos celebrados com o médico Paulo Margato.

Segundo recordou a Antena 1 Açores, desde 2009 foram celebrados, com caráter anual, sucessivos contratos, sendo que o de 2017 foi no valor de 37 mil e 800 euros, tendo terminado a 31 de dezembro.

A mesma noticia da rádio pública dá conta ainda que a Câmara da Lagoa foi a única, até agora, nos Açores a substituir-se ao Serviço Regional de Saúde.

Recorda ainda a mesma notícia que Paulo Margato garantiu a prestação de consultas a utentes no concelho da Lagoa, numa altura em que era também Diretor Clínico do Centro de Saúde de Ponta Delgada., sendo que, nesta qualidade, cabia-lhe a responsabilidade de acautelar clínicos para suprir as carências no concelho da Lagoa.

DL/A1

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*