“Combate à pobreza deve ser partilhado com aqueles que melhor conhecem o dia a dia da população mais necessitada”

Jaime Vieira desafiou o Governo regional a envolver as Juntas de Freguesia, Câmaras Municipais, Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) e os movimentos ligados à Igreja, ou seja “todos aqueles que melhor conhecem o dia a dia da população mais necessitada”, no combate à pobreza e exclusão social na Região.

O deputado do PSD/Açores, que falava no parlamento açoriano durante uma interpelação sobre a Estratégia Regional de Combate à Pobreza e Exclusão Social, apresentada pelo executivo, frisou que “uma verdadeira estratégia de combate à pobreza não vencerá sem o contributo da sociedade civil”.

O social-democrata denunciou casos de famílias que residem em moradias com capacidade para quatro pessoas, mas onde vivem 12; casos de famílias que só com uma ida a uma associação é que conseguem “levar pão para casa” ou ainda a situação de jovens casais que, mesmo trabalhando, não têm uma habitação condigna nem acesso a cuidados de saúde e os seus filhos não têm condições que garantam o sucesso escolar.

Neste quadro, Jaime Vieira explicou que o desafio que se coloca, no que respeita ao combate à pobreza e à exclusão social, é o de “dar o salto qualitativo para impedir que a pobreza não se eternize e para impedir que os novos pobres continuem a engrossar as filas do Rendimento Social de Inserção (RSI)”.

Jaime Vieira não deixou de lamentar que ainda hoje seja preciso discutir nos Açores uma Estratégia Regional de Combate à Pobreza e Exclusão Social depois de “21 anos de governação socialista na Região; depois da transferência de mais de 5 mil milhões de euros da União Europeia e depois dos ‘maiores Planos e Orçamentos de sempre’, segundo a propaganda do Governo”.

DL/PSD

Categorias: Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*