“Os dialetos são salvaguardados sem recomendação governamental”, afirma Susana Goulart Costa

A preservação dos dialetos açorianos esteve, esta terça-feira, em discussão na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, na sequência de uma recomendação efetuada pelo PPM. Para o Grupo Parlamentar do Partido Socialista, a protecção dos dialectos é um trabalho que já tem antecedentes na Região, pois já são “salvaguardados sem a pretensa recomendação governamental”, de acordo com a deputada Susana Goulart Costa.

Para a parlamentar, existe atualmente “respeito pelas variantes linguísticas”, não tendo o Governo descurado esta questão, como se comprova, por exemplo, com a criação do Atlas Linguístico-Etnográfico dos Açores, divulgado online em 2011. “Acima de tudo, falemos todos de acordo com as nossas especificidades, de forma natural e sem imposições, afirmou Susana Goulart Costa, acrescentando que já na comunicação social regional, quer no sistema educativo regional, se observa a dignificação dos dialetos.

Em relação às escolas, a deputada Maria de Fátima Ferreira também salientou que os estabelecimentos de ensino “desenvolvem conhecimentos e valorizam especificidades linguísticas”, acrescentando que “tendo em conta a evolução dos dialetos e as suas especificidades, não são necessárias medidas de proteção institucional, pois será da liberdade de expressão que a evolução se fará, não esquecendo as particularidades do povoamento dos Açores e das suas origens”.

DL/PS

Categorias: Política

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*