“Desafio atual da formação profissional é dar resposta às novas necessidades do mercado”

O Vice-Presidente do Governo afirmou, na Praia da Vitória, que o desafio que atualmente se coloca à formação profissional nos Açores é qualificar e requalificar recursos humanos ao “ritmo necessário” para dar resposta às novas necessidades do mercado de trabalho e às intenções de investimento privado interno e externo na Região.

“O ritmo de formação tem que se ajustar à procura do mercado e não é o mercado que se ajusta ao ritmo da formação”, frisou Sérgio Ávila na sessão de encerramento do XXI Campeonato Regional das Profissões – Azores Skills.

O titular da pasta do Emprego, Qualificação Profissional e Competitividade Empresarial salientou, nesse sentido, que a Região tem, “cada vez mais, que ter a capacidade de ter respostas mais flexíveis, mais rápidas, de acordo com aquilo que o mercado procura”.

“Temos vindo a encontrar e a captar nos Açores bastantes investimentos em áreas que requerem recursos humanos com qualificação específica e a resposta que temos que dar a todos – escolas profissionais, entidades públicas – é só uma: se não temos, formamos! E formamos no tempo necessário”, afirmou.

Segundo o executivo regional, de um défice de existência de procura em muitas áreas, frisou Sérgio Ávila, atualmente verifica-se a situação inversa, designadamente nas áreas das tecnologias da informação, das especialidades industriais ou da construção, entre outras.

Sérgio Ávila destacou também a mais-valia da Região ao nível da qualidade da formação profissional, comprovada, quer pelas distinções recebidas, quer pelos elevados níveis de empregabilidade.

“Em termos de formação, em termos de qualidade profissional, não só se apuram aqui [nos campeonatos regionais] os melhores da Região, como se apuram, normalmente, os melhores do país”, afirmou, apontando o exemplo do último campeonato nacional.

O Vice-Presidente sublinhou que, dos 14 Açorianos que venceram as provas regionais, metade foram campeões nacionais.

“Estamos, muito provavelmente, a escolher os melhores do país porque a formação profissional nos Açores tem dado prova de que é, sem dúvida, a melhor do país em termos de resultados concretos”, salientou, acrescentando que esta realidade “é mérito de quem forma e é, essencialmente, mérito de quem é formado”.

“Traduz também a aposta feita pela Região” na formação profissional, afirmou Sérgio Ávila, revelando que, nos últimos quatro anos, foram investidos 61 milhões de euros que permitiram formar 2.840 Açorianos.

“Este facto é, sem dúvida, significativo da forte aposta que se faz no investimento na formação profissional nos Açores e que, mais do que a quantidade, tem que ver com a qualidade”, afirmou.

Para o Vice-Presidente, se, nesta matéria, houvesse dúvidas, “os resultados a nível nacional demonstram que a qualificação profissional nos Açores é uma referência”.

Nos campeonatos nacionais, os Açores têm sido, desde 2004, a região do país com a maior percentagem de medalhas relativamente ao número de concorrentes.

No último campeonato nacional, em 2016, na cidade de Coimbra, todos os concorrentes açorianos obtiveram medalhas.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*