41 entidades assinaram Cartilha de Sustentabilidade na Lagoa

Redução do consumo de papel em 10%, redução do consumo de energia elétrica em 15% e zero resíduos enviados para aterro até 2020, foram os compromissos assumidos pela Câmara Municipal de Lagoa, aquando da assinatura da Cartilha de Sustentabilidade.

A Cartilha de Sustentabilidade foi assinada pelo Governo Regional e 41 entidades, no âmbito da Conferência Internacional “Açores 2017: No Rumo do Turismo Sustentável” que decorreu, dias 5 e 6 de dezembro, na Lagoa, mais precisamente no Parque de Ciência e Tecnologia de São Miguel – Nonagon.

De uma forma coletiva, esta certificação, é representativa de um compromisso conjunto, ambicioso e permanente, com a finalidade de um turismo sustentável para a Região Autónoma dos Açores.

Os dois dias de reflexão e partilha sobre o desenvolvimento dos Açores, permitiram demonstrar que, o arquipélago, está no bom caminho para um turismo sustentável, porém muito trabalho ainda resta por fazer.

Marta Guerreiro, Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo, durante a cerimónia de encerramento desta conferência, salientou que, em conjunto, têm que continuar a trabalhar para os Açores serem mais sustentáveis, por forma a fazerem da região uma referência para os turistas, nomeadamente sendo demonstrativos do equilíbrio e respeito cultural, ambiental e passando pela valorização dos turistas e residentes açorianos.

A secretária regional relembrou que o turismo nos Açores, permitiu o desenvolvimento de outros setores, principalmente: a agricultura, industria, pequenos comércios e artesanato açoriano.

Com esta certificação, o Governo Regional dos Açores compromete-se, publicamente, a atingir os seus objetivos, alinhados com os das Nações Unidas, até 2019, sendo que, atualmente, nenhum arquipélago pertence ao Global Sustainable Tourism Council.

De relembrar, que o Global Sustainable Tourism Council é uma organização não-governamental que integra diversas entidades, entre as quais organismos das Nações Unidas, sendo que, apenas quatro países, nove regiões e nenhum arquipélago têm esta certificação.

“Sabemos que não estamos a começar do zero, mas há um longo caminho a percorrer”, referiu Marta Guerreiro, afirmando que as entidades, sejam elas públicas ou privadas, terão um papel preponderante numa maior diferenciação do destino Açores.

Por outro lado, a secretária regional relembrou que o consumidor tem, cada vez mais, exigências tanto na área ambiental, social como económica e que, o principal objetivo desta certificação, passa por uma opção estratégica de elevação dos Açores.

Relativamente à educação, Marta Guerreiro, defendeu a importância desse setor, acreditando que a intensificação do papel da educação é relevante e demonstrativo da preocupação, do Governo Regional, nas novas gerações.

“O futuro não é amanhã, o futuro começa agora”, finalizou a Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo.

Redução de consumos per capita de água, papel e eletricidade; banir o uso de água engarrafada; aquisição de viaturas elétricas; formação de ativos em Gestão Sustentável e separação de resíduos, foram alguns dos compromissos assinados por parte das diversas entidades.

DL/AS

Categorias: Local

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*